Carro de avô cai de balsa no litoral de São Paulo, e neto de 12 anos morre

Veículo atravessou a embarcação que faria a travessia de Bertioga para Guarujá

Paulo Gomes
São Paulo

Um adolescente de 12 anos morreu após o carro em que estava cair da balsa na noite desta quinta-feira (27) em Bertioga, no litoral de São Paulo.

Segundo o Corpo de Bombeiros, por volta das 19h40 um carro branco com o menino e mais o avô dele, que estava na direção, atravessou a embarcação que faria a travessia da cidade para Guarujá.

O veículo, segundo relatos de testemunhas aos bombeiros, foi o segundo a entrar na balsa e, em vez de parar ao término do convés, seguiu adiante, caindo no mar.

Travessia de Balsa em Guaruja (SP)
Travessia de Balsa em Guaruja (SP) - Marcelo Justo/Folhapress

O motorista do veículo, um compacto da Chevrolet, era um idoso de 77 anos. Ele conseguiu sair do carro após a queda, foi socorrido e encaminhado em estado de choque ao pronto-socorro. Equipes de mergulhadores dos bombeiros fizeram buscas no local e encontraram ​o veículo e o corpo do garoto. 

Responsável pela travessia, a Dersa, empresa ligada à gestão Márcio França (PSB), ainda não se pronunciou sobre o acidente. A travessia do trecho Guarujá-Bertioga chegou a ser interrompida para os trabalhos de perícia da Polícia Civil, mas já foi retomada na manhã desta sexta (28).

Em outubro, a empresa pública entregou uma embarcação para Bertioga "totalmente recuperada", ao investimento de R$ 1,5 milhão —não se sabe ainda se esta foi a mesma em que ocorreu o acidente desta quinta-feira. Também não é possível dizer se houve alguma falha de segurança da balsa.

Segundo a Dersa, todas as 34 embarcações da frota ao longo dos oito pontos operados no litoral paulista cumprem um cronograma de manutenção preventiva e são certificadas para operarem em perfeitas condições de funcionamento.

​​

Imagem de serviço da Dersa mostra que travessia foi interrompida
Imagem de serviço da Dersa mostra que travessia foi interrompida - Reprodução/Dersa

Em 2018, foram investidos R$ 23,3 milhões para reforma e modernização das embarcações e na aquisição de equipamentos. A previsão é que  em 2019 ​​as travessias litorâneas recebam R$ 54 milhões da Dersa.  ​

O trecho mais popular durante a temporada é São Sebastião-Ilhabela, com histórico de problemas de manutenção, balsas indisponíveis e atrasos. Com frequência, o tempo de espera para o embarque supera as três horas.

Tradicionalmente cheio, ​o trecho Santos-Guarujá também tem registro de transtornos. Em 2016, as sete embarcações que faziam a travessia apresentaram problemas.

No mesmo ano, na Guarujá-Bertioga, em que ocorreu o acidente desta quinta-feira, a travessia ficou um dia todo sem balsa para o percurso, de 600 metros.

O mau tempo eventualmente também interrompe o serviço, que ao longo da costa paulista recebe uma média diária de 22 mil pedestres, 22 mil veículos, 10 mil bicicletas e 9.000 mil motos, segundo a Dersa.

No último feriado prolongado, entre 14 e 20 de novembro, 8.967 veículos passaram pelo trecho Guarujá-Bertioga, com 750 viagens. ​​

Erramos: o texto foi alterado

Versão anterior desse texto afirmou que o carro que caiu no mar era um compacto da ​Hyundai. Era, como se comprovou depois, um Chevrolet. E a idade do idoso que conduzia o veículo foi inicialmente apontada como 67 anos, mas o correto é 77.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.