Descrição de chapéu Obituário Waltel Branco (1929 - 2018)

Mortes: O compositor que ajudou a fazer a MPB no século 20

Waltel também foi arranjador da Pantera Cor-de-Rosa e Escrava Isaura

Fernanda Canofre

No Rio de Janeiro do final dos anos 1950, dois jovens músicos dividiam um quarto de pensão em Copacabana. Um era o baiano João Gilberto. O outro, o paranaense Waltel Branco. E a bossa nova que estava por vir emprestou muito das batidas do violão dele. 

Waltel não gostava do termo, achava que tudo era música popular brasileira. Depois de uma ida aos Estados Unidos, voltou ao Brasil para se tornar um dos principais arranjadores do país. 

Fez parte do grupo de músicos responsável pelos arranjos do tema da “Pantera Cor-de-Rosa”. Foi dele a ideia de colocar o “lerê-lerê” em “Escrava Isaura”. Trabalhou com Elizeth Cardoso, Tim Maia, Alceu Valença, Roberto Carlos, Odair José, Elis Regina. Presenteou Djavan com o violão que o ajudou no início da carreira. 

“Pela biografia dele é possível contar a história da MPB da segunda metade do século 20. Tudo de importante que aconteceu, ele estava no meio”, conta Felippe Aníbal, seu biógrafo. 

Waltel virou Waltel por um erro do escrivão. Era para ser Walter. Nasceu em Paranaguá (a cerca de 77 km de Curitiba), no dia do músico. Com problemas respiratórios, não pode aprender os instrumentos de sopro que o pai tocava no Exército. Acabou se apaixonando pelo violão. 

Nos anos 1950, começou tocando em clubes da capital paranaense em uma banda, com um dos cinco irmãos. Viajou por vários países com a música, mas foi no Rio que conheceu Leide, a moça que escrevia poesias, e seria mãe de duas filhas com ele. 

Nos anos 1990, Waltel resolveu voltar a Curitiba. Às vezes fazia alguma apresentação, mas nunca deixou de compor. As melodias seguiam vindo naturalmente como um pensamento. 

No dia 28 de novembro, teve uma parada cardíaca, seguida de falência de múltiplos órgãos. Morreu aos 89 anos. Deixou três filhos, a esposa Leide, netos, bisnetos e um legado de MPB. 


coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missas


Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.