STJ nega pedido da defesa de João de Deus para libertar o médium

Pedido havia sido feito após Justiça de Goiás negar revogação de prisão

Fábio Fabrini
Goiânia

O ministro Nefi Cordeiro, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), negou nesta quarta (19) habeas corpus para libertar João Teixeira de Farias, o João de Deus.

O pedido havia sido feito pela defesa do médium após o Tribunal de Justiça de Goiás também decidir nesta terça (18) contra a revogação da prisão.

A Folha confirmou a decisão com a assessoria de imprensa do STJ. O conteúdo dela não foi divulgado.
Procurado, o advogado de João de Deus, Alberto Toron, ainda não de pronunciou.

João de Deus está preso desde o domingo (16) em Aparecida de Goiânia. É suspeito de abusar sexualmente de mulheres que procuravam atendimento na Casa Dom Inácio de Loyola, seu hospital de cirurgias espirituais. Os casos começaram a se tornar públicos no dia 8, após 13 supostas vítimas relatarem violações à TV Globo e ao jornal O Globo.

Na semana passada, Aline Saleh, 29, contou à Folha que esteve na Casa Dom Inácio em 2012, foi levada para um banheiro, posta de costas e que João de Deus colocou a mão dela em seu pênis.

Desde então, a força-tarefa montada pelo Ministério Público de Goiás para investigar o caso recebeu 506 relatos sobre supostos abusos cometidos pelo médium. A maioria chegou por e-mail e as denunciantes estão sendo chamadas a prestar depoimentos.

Na última sexta (14), a Justiça decretou a prisão preventiva do médium. Ele ficou escondido num sítio na zona rural de Abadiânia até se entregar na tarde de domingo (16) e ser levado para a prisão em Aparecida de Goiânia. 

O momento da apresentação foi registrado com exclusividade pela colunista Mônica Bergamo, da Folha.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.