Defesa do médium João de Deus desiste de habeas corpus no STF

Defesa do médium vai aguardar o julgamento de outro pedido de liberdade protocolado em Goiás

João Pedro Pitombo
Salvador

A defesa do médium João de Deus protocolou na noite de sexta-feira (11) um pedido de desistência de habeas corpus no STF (Supremo Tribunal Federal).

O pedido de soltura do médium havia sido protocolado no dia 20 de dezembro, um dia depois do início do recesso do Judiciário. O caso seria analisado pelo presidente da Corte, o ministro Dias Toffoli.

Neste sábado (12), Toffoli homologou o pedido de desistência do habeas corpus.

João de Deus está preso preventivamente desde 16 de dezembro no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Na quarta-feira (9) ele se tornou réu pelos crimes de estupro de vulnerável e violação sexual. A juíza Rosângela Rodrigues dos Santos aceitou a denúncia oferecida pelo Ministério Público de Goiás. A defesa do médium nega as acusações.

A desistência do habeas corpus no Supremo faz parte da estratégia da defesa do médium, que vai aguardar o julgamento de outro pedido de liberdade protocolado no Tribunal de Justiça do Estado de Goiás.

​Os crimes de abuso sexual teriam sido praticados durante atendimentos individualizados e em locais restritos na Casa Dom Inácio de Loyola, local onde o médium atendia em Abadiânia.

O Ministério Público de Goiás formou uma força-tarefa para cuidar do caso e recebeu mais de 300 denúncias de abuso sexual contra João de Deus.
 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.