Descrição de chapéu Folha Verão

Maioria das praias do litoral sul de SP está imprópria para banho

Em Santos, Mongaguá e Peruíbe, problema afeta todas as praias

Elaine Granconato
São Paulo

Santos, Mongaguá e Peruíbe, cidades do litoral sul paulista, estão com todas as praias ou trechos de praias impróprios para banho, segundo aponta a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), da gestão João Doria (PSDB).

Em São Vicente, vizinha a Santos, das seis praias com pontos de monitoramento da Cetesb, apenas a Ilha Porchat recebeu a bandeira verde.

A situação é ainda pior na Praia Grande, também na Baixada Santista. Do total de 12 praias, apenas a Guilhermina tem condições de receber os banhistas.

Já no Guarujá, cinco das 12 praias que foram analisadas estão impróprias também, segundo o boletim semanal divulgado ontem pela agência que fiscaliza atividades geradoras de poluição.

Por outro lado, Bertioga, Iguape e Ilha Comprida estão com todas as praias adequadas para banho e podem ser opção para o paulistano neste fim de semana prolongado de aniversário de São Paulo.

Segundo a Cetesb, as amostras para avaliar a qualidade da água no litoral foram coletadas entre os dias 18 e 20 de janeiro.

Neste período, a Baixada Santista registrou chuvas de até 30 milímetros, o que acabou influenciando na classificação da qualidade das praias paulistas.

Com as chuvas, o lixo e outros detritos chegam às praias por meio de galerias, córregos e canais de drenagem. Além disso, segundo a Cetesb, as ligações clandestinas de esgoto à rede pluvial e o aumento do público, durante as férias de verão, também são fatores determinantes para a qualidade da água e das praias.

Dos 62 pontos de coleta para análise da água pela Cetesb em sete cidades do litoral sul (veja arte ao lado), 48 foram considerados impróprios. Neste ano, até o momento, é o pior cenário registrado pela companhia.

As prefeituras dos municípios de Santos, São Vicente, Guarujá, Praia Grande e Peruíbe, no litoral sul paulista, disseram, por notas, que têm investido em ações para modernização do sistema de captação de águas pluviais e na extensão das redes de esgotos, além de desassoreamento dos canais e mutirões de limpeza de suas praias (faixas de areia). Com a alta demanda de turistas, as cidades dizem sofrer com a saturação na rede de esgoto. Mongaguá e Itanhaém não responderam.

Agora
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.