Descrição de chapéu Tragédia em Brumadinho

Veja quem são as vítimas identificadas da barragem da Vale em Brumadinho

Reservatório de rejeitos de mineradora rompeu-se e deixou dezenas de mortos

São Paulo

O rompimento da barragem de rejeitos de minério de ferro da Vale em Brumadinho (MG) na última sexta (25) deixou ao menos 115 mortos e 248 desaparecidos. Até agora, 71 dessas vítimas foram identificadas. Entre eles há funcionários e terceirizados da Vale, turistas e trabalhadores da pousada Nova Estância e moradores da região. Veja abaixo quem são eles:

​​Adriano Caldeira do Amaral, 42 
Funcionário da Vale, era casado e pai de dois filhos

Adriano Ribeiro da Silva, 61
Empresário paulista, estava na pousada Nova Estância Inn com os filhos Luiz Taliberti Ribeiro da Silva e Camila Taliberti Ribeiro da Silva

Adriano Wagner da Cruz de Oliveira

Trabalhava como mecânico em empresa terceirizada da Vale. Tinha uma filha de 16 anos, que esperava um filho

Alaércio Lucio Ferreira

Alano Reis Teixeira, 40
Nascido em Taguatinga, vivia em Belo Horizonte e era atleticano. Funcionário da Vale, Alano era casado e pai de dois filhos

Alex Rafael Piedade, 36
Operador de máquina da Vale

Amauri Geraldo da Cruz, 49
Amauri, era motorista em Brumadinho. Foi enterrado no dia 30 de janeiro em Conceição de Itaguá

Anailde Souza Pereira, 38
Técnico em eletroeletrônica na Vale, Anailde era casado e tinha um filho

Anderson Luiz da Silva, 43
Natural de Conselheiro Lafaiete, interior de Minas Gerais, Anderson trabalhava como maquinista

André Luiz Almeida Santos, 34
Torcedor do Cruzeiro, André estudou na Faculdade Asa Brumadinho e era funcionário da Vale

Andrea Ferreira Lima
Natural de Marabá, no Pará, Andrea era terceirizada da Vale e deixou dois filhos 

Angelica Aparecida Avila

Angelo Gabriel da Silva Lemos, 57 
Angelo era motorista terceirizado da Vale e deixou dois filhos

Camila Aparecida da Fonseca Silva, 16
Camila era funcionária da pousada Nova Estância Inn

Camila Santos de Faria, 32
Camila trabalhava na área administrativa da Vale 

Camila Taliberti Ribeiro da Silva, 33
Camila estava na pousada Nova Estância Inn com o pai Adriano Ribeiro da Silva, o irmão Luiz Taliberti Ribeiro da Silva, a cunhada Fernanda Damian de Almeida, e a madrasta Maria Lurdes da Costa Bueno 

Carlos Eduardo Faria
Carlos, 45, era motorista terceirizado da Vale. Deixa três filhos e um neto 

Carlos Roberto da Silva

Carlos Roberto Deusdedit, 46 
Era casado e tinha um filho; nascido em Contagem (MG), trabalhava para empresa terceirizada pela Vale 

Cláudio José Dias Rezende
Engenheiro da Vale, Cláudio, 26, deixa esposa e um filho

Cláudio Pereira Silva
Funcionário terceirizado da Vale

Cleosane Coelho Mascarenhas, 58 
Dona da pousada Nova Estância, que foi engolida pela lama; seu marido, Marcio Mascarenhas, e seu filho, Marcio Paulo Coelho Mascarenhas, também foram encontrados mortos. Todos estavam na pousada no momento que a barragem rompeu

Cristiano Vinicius Oliveira de Almeida
Técnico em mecânica da Vale 

Cristina Paula da Cruz Araujo

Daniel Muniz Veloso, 29 
Casado, esperava um filho. O técnico em eletromecânica, funcionário de uma terceirizada, deixa a esposa grávida de oito meses

David Marlon Gomes Santana
Funcionário de uma terceirizada

Diego Antônio de Oliveira, 27
Era topógrafo da Vale. Deixa uma filha e a esposa

Djener Paulo Las Casas Melo, 31
Era operador de máquinas da Vale e casado

Duane Moreira de Souza, 33
Manobrador de uma terceirizada, era casado e deixa três filhos

Edgar Carvalho Santos, 45
Nascido em Nova Viçosa (MG), era casado e mecânico da Vale

Edirley Antônio Campos, 35
Funcionário da Vale

Ednilson dos Santos Cruz, 23
Natural de Santo Amaro, interior da Bahia, morava próximo a Brumadinho. Trabalhava em uma terceirizada da Vale 

Edymayra Samara Rodrigues Coelho, 28
Terceirizada da Vale, Edymarya deixa esposo e um filho

Eliane Nunes Passos

Eliandro Batista de Passos, 33 
Tinha uma filha e trabalhava em uma empresa terceirizada pela Vale

Eudes José de Paula, 41
Deixa esposa e uma filha de 7 anos

Fabrício Henriques da Silva, 27 
Trabalhava há cinco meses em uma terceirizada pela Vale

Fernanda Batista do Nasciment

Flaviano Fialho, 34 
Torcedor do Atlético-MG e funcionário da Vale, era casado e pai de dois filhos pequenos; funcionário da Vale

Francis Marques da Silva, 34 
Era casado e pai de uma menina de 4 anos, também deixa mãe, pai e quatro irmãos; nascido em Belo Horizonte, era técnico de manutenção de uma terceirizada da Vale havia oito anos —mas há 16 já trabalhava com barragens. Francis dizia ter medo do rompimento da mina do Córrego do Feijão, porque havia uma espécie de vazamento, infiltração

A família acredita que Preto, como era conhecido, estava no refeitório no momento da tragédia. "Ele havia me pedido pra fazer algo diferente pra comer, comida da roça, pato cozido com macarrão. A gente fica com isso na cabeça", conta o irmão, Franir

Gislene Conceição Amaral

Glayson Leandro da Silv

Gustavo Sousa Junior, 37
Trabalhava como mecânico em uma empresa terceirizada pela Vale. Deixa esposa e um filho

Janice Helena do Nascimento, 43
Torcedora do Atlético-MG, deixa uma filha

João Paulo de Almeida Borges, 36 
Nasceu em João Monlevade (MG)

Jonatas Lima Nascimento, 36
Casado há 15 anos e pai de dois filhos, uma menina de 10 anos e um menino de 6; era funcionário da Vale e trabalhava em Brumadinho há três anos

Jonis André Nunes

Jorge Luiz Ferreira

Josiane de Souza Santos

Leonardo Alves Diniz, 33 
Torcedor do Atlético Mineiro, era casado e pai de um filho de sete anos. Seu hobbie era frequentar cultos da igreja evangélica e andar à cavalo; técnico de manutenção da Vale, trabalhava na empresa há dez anos. Estava de folga, mas foi convocado para o plantão no dia da tragédia

Lucio Rodrigues Mendanh

Luiz Cordeiro Pereira

Luiz de Oliveira Silva, 43
Funcionário da Vale, deixa esposa. Faria 44 anos no dia 2 de fevereiro

Luiz Taliberti Ribeiro da Silva, 31
Morava na Austrália com Fernanda Damian de Almeida, 30, grávida de cinco meses. O casal ficou noivo em outubro do ano passado e pretendia conhecer Inhotim; Luiz estava, além da noiva, com o pai, a madastra e a irmã, na pousada Nova Estância Inn e os quatro da família seguem desaparecidos

Marcelle Porto Cangussu, 35 
Era médica formada pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e funcionária da Vale desde 2015; tinha comemorado o aniversário um dia antes da tragédia e não estava escalada para trabalhar na sexta (25), mas foi chamada pela empresa de última hora. Marcelle estava em horário de almoço no lugar onde dava expediente quando a barragem rompeu e foi a primeira vítima a ser identificada

Marcelo Alves de Oliveira, 46
Natural de Santos (SP)

Marciano de Araujo Severin

Márcio Coelho Barbosa Mascarenhas

Márcio Flávio da Silveira Filho, 27 
Nascido em Barão de Covais, o técnico em segurança no trabalho começou o emprego na empresa terceirizada da Vale em julho do ano passado

Márcio Paulo Barbosa Pena Mascarenhas, 74 
Nascido em Pirapora (MG), era dono da pousada Nova Estância, que foi engolida pela lama; morreu junto com a mulher, Cleosane Coelho Mascarenhas e o filho, Marcio Coelho Barbosa Mascarenhas.

Fundador da rede de escolas de inglês Number One, ele deixou a administração do negócio há dois anos para se dedicar a cuidar da pousada com a família

Marcus Tadeu Ventura do Carmo, 34

Marlon Rodrigues Gonçalves

Maurício Lauro de Lemos, 52 
Trabalhava havia seis meses como motorista em uma empresa terceirizada pela Vale; casado, era pai de uma filha e avô de dois netos, um de 13 e outro de 9 anos

Moisés Moreira de Sales 
Funcionário da Vale

Natalia Fernanda da Silva Andrad

Ninrode de Brito Nascimento, 34
Casado, deixa uma filha. Engenheiro, funcionário da Vale 

Noe Sancao Rodrigues

Peterson Firmino Nunes Ribeiro

Ramon Junior Pinto

Reinaldo Fernandes Guimarães, 30
Era auxiliar de serviços gerais na pousada Nova Estância havia cerca de um ano e meio. Guimarães tinha uma filha de dois anos e criava uma enteada de sete anos com a esposa. Ele morava na comunidade do Córrego e no momento do incidente estava deitado numa cama na casinha do caseiro ao lado da pousada

Renato Rodrigues Maia, 47
Técnico de segurança da Vale

Renato Vieira Caldeira

Renildo Aparecido do Nascimento 
Trabalhava há 20 anos na Vale, era parte do setor administrativo de controle da mineração; era casado e deixou três filhos biológicos e outros dois enteados

Ricardo Eduardo da Silva, 41 
Nascido em Itabira (MG), era motorista de uma empresa terceirizada da Vale. Ricardo conduzia o ônibus que foi completamente submerso pela lama. O veículo estava com outras duas pessoas, todas foram encontradas já sem vida

Robson Máximo Gonçalves, 26 
Morador da região, estava com a mulher, Paloma Prates da Cunha, 22, o filho, Heitor, de um ano e sete meses e a cunhada Pamela Prates da Cunha, 13, na Pousada Nova Estância, onde a família morava e trabalhava. O local foi destruído pela lama.

Sua mulher sobreviveu, está internada no hospital em Belo Horizonte e pergunta a todo momento pelo filho, que está desaparecido, assim como a cunhada de Robson, irmã de Paloma

Roliston Teds Pereira, 38
Nascido em Itabira (MG), o funcionário da Vale era casado e tinha duas filhas.

Rosilene Ozorio Pizzani Mattar, 48
Trabalhava em empresa terceirizada da Vale. O marido, João Paulo Pizzani, também trabalhava na mina

Ruberlan Antonio Sobrinho

Sandro Andrade Gonçalves

Sirlei de Brito Ribeiro, 48 
Professora de direito civil, era coordenadora do curso de direito da Faculdade Asa de Brumadinho (MG), além de secretária municipal de ação social. A lama passou por cima da sua casa, na comunidade Vila do Ferteco

Thiago Mateus Costa, 32
Natural de Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, era mecânico da Vale

Tiago Augusto Favarini

Wanderson Carlos Pereira

Wanderson de Oliveira Valeriano, 35
Funcionário da Vale, deixa esposa e três filhos

Wanderson Paulo da Silva

Wanderson Soares Mota,  32  
Nascido na cidade de Filadélfia, no Tocantins, trabalhava como operador de maquinas na Vale; segundo a família, Wanderson estava no refeitório no momento do rompimento da barragem

Warley Lopes Moreira 
Torcedor do Atlético Mineiro nascido em Belo Horizonte, era engenheiro mecânico da Vale há oito anos. Seu trabalho era itinerante, por várias unidades da empresa e, no dia da tragédia, estava na barragem que se rompeu

Wellington Alvarenga Benigno, 37
Nascido em Nova Lima (MG), era casado, tinha uma filha e trabalhava como engenheiro de uma terceirizada da Vale

Wellington Campos Rodrigues, 53 
Era casado e com três filhas; o professor de seminários, natural de Bom Despacho, era também analista de suporte de terceirizada

Wesley Antônio das Chagas

Willian Jorge Felizardo Alves, 24 
Trabalhava numa empresa terceirizada pela Vale

Wiryslan Vinicius Andrade De Souza, 25
Funcionário da Vale, morava em Belo Horizonte

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.