Descrição de chapéu Tragédia em Brumadinho

Defesa Civil de MG retira moradores em áreas de cinco barragens da Vale

Remoções acontecem nas cidades de Ouro Preto e Nova Lima

Nova Lima (MG) | UOL

Famílias que residem no entorno de mais cinco barragens inativas da Vale estão sendo retiradas de suas moradias nesta quarta-feira (20). As remoções acontecem em Nova Lima e Ouro Preto e estão sendo coordenadas pela Defesa Civil de Minas Gerais. 

Esta é a quarta vez que ocorre evacuação de pessoas próximas a barragens desde o rompimento da barragem 1 em Brumadinho (MG), que causou a morte de 169 pessoas. Outras 141 estão desaparecidas.

A Vale afirmou que a medida de evacuação é preventiva, para garantir segurança das populações nestas regiões.

Durante o dia, segundo a mineradora, 125 moradores serão retirados do entorno das barragens. Em
Nova Lima, a remoção abrange 100 pessoas de 33 casas. Em Ouro Preto, onde ficam quatro das estruturas, serão 25 pessoas. 

Pela manhã, foram evacuados moradores da chamada zona de autossalvamento próxima à barragem de Vargem Grande, em Nova Lima (a 25 km de Belo Horizonte).

Serão ainda retirados moradores do entorno das barragens de Forquilha 1, 2 e 3 e Grupo, todos no entorno da mina de Fábrica, na zona rural de Ouro Preto (a 97 km da capital mineira).

"Estas quatro barragens inativas estão localizadas no entorno da mina de Fábrica, cuja produção será mantida através do processamento a seco, com um impacto estimado de perda de aproximadamente 3 Mtpa em 2019", afirma o comunicado da Vale.

A mineradora anunciou uma coletiva de imprensa para o final da manhã, onde passaria mais esclarecimentos sobre as evacuações. Depois de remarcar duas vezes o horário, às 12h, a empresa comunicou que a conversa com jornalistas, prevista para acontecer na Mina da Mutuca, em Nova Lima, foi cancelada sem nova previsão.

As estruturas estão na lista de dez barragens construídas por alteamento a montante inativas que foram apontadas em uma ação do Ministério Público de Minas Gerais. 

Em 4 de fevereiro, a empresa divulgou sua decisão de antecipar a suspensão temporária da produção das plantas de concentração do complexo, prevendo impacto de 13 milhões de toneladas de minério de ferro. A medida fazia parte do processo de descomissionamento de barragens a montante, conforme plano divulgado no fim de janeiro, após o rompimento da barragem de Brumadinho.

Esta é a quarta vez que ocorre um processo de evacuação em áreas próximas a barragens. Dois dias depois da tragédia em Brumadinho, os moradores da cidade tiveram de deixar os imóveis às pressas durante a madrugada. Em 8 de fevereiro, houve novo alerta e retirada de moradores nas cidades de Barão de Cocais e Itatiaiuçu. No último domingo, 110 pessoas foram retiradas de suas casas em Nova Lima.

Em nota, o governador Romeu Zema (Novo) disse que recebeu “com preocupação” o comunicado das novas evacuações e repetiu que, embora seja “inconveniente para as famílias”, a medida é preventiva e visa salvar vidas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.