Descrição de chapéu Alalaô

Enorme, troça mais tradicional do Carnaval de Olinda terá 2 orquestras

Cariri desfila desde 1921, tocando frevo das 4h às 9h do domingo e arrastando multidão pela cidade

Recife

É a troça mais antiga do Carnaval olindense. Você só precisa saber disso. Portanto, não há lugar mais popular e tradicional para desfilar. 

A brincadeira, surgida em 1921 em torno de um velho que trazia da região do sertão do Cariri ervas medicinais num burrinho para vender nos mercados do Recife, abre oficialmente a folia no sítio histórico. 

Sai de Guadalupe, bairro popular da cidade, durante a madrugada do domingo. Às 4h em ponto, o Homem da Meia-Noite, surgido 11 anos depois a partir de uma dissidência do Cariri, entrega a chave gigante da cidade à troça. É o grande momento.

Os fogos anunciam a hora em que os músicos, comandados pelo famoso maestro Oséas, deixam a sede do Cariri, na rua Cândida Luísa, e ganham as ruas. 

Até hoje, um burrinho e um velho acompanham os foliões. Quem vai pela primeira vez gosta de fotografar o momento. A tradição e a experiência inesquecível de frevar com o dia amanhecendo são o maior combustível para aguentar a maratona.

A agremiação, após percorrer as ladeiras históricas da cidade, só se recolhe às 9h.

Há vendedores ambulantes de bebidas e comidas ao longo do percurso, mas é recomendável levar sua própria garrafinha com o seu melhor combustível.

Nos últimos anos, o Cariri virou "cult" e não para de crescer. "Realmente, cresceu demais. Não sabemos calcular a quantidade de pessoas. É a prova de que estamos agradando", orgulha-se Ivson Luiz de Santana, vice-presidente da troça.

Ele é neto de Augusto Canuto de Santana, fundador da entidade cultural.

"Meu avô via o velhinho montado num burro chegando ao Mercado de São José, no Recife, para vender ervas. No domingo de Carnaval de 1921 decidiu fantasiar um amigo para homenageá-lo e começou a brincadeira", explica.

Neste Carnaval, o Cariri vem com uma novidade. Em razão da grande quantidade de pessoas que o acompanham, haverá duas orquestras de frevo com 40 músicos cada. 

"Além de Oséas, teremos o maestro Rinaldo. Elas vão tocar simultaneamente. Uma orquestra não atrapalha a outra porque a distância entre elas é muito grande", assegura Ivson.

A dica é assistir à saída do Homem da Meia-Noite, que fica bem perto, e acompanhar o calunga (boneco gigante) mais famoso do Carnaval até chegar ao Cariri.

Para quem não tem tanto pique, uma boa opção é chegar ao Cariri antes do Homem da Meia-Noite e aguardar a saída na sede. De lá, a troça percorre ladeiras e só para cinco horas depois do início do desfile.

Hora de voltar para casa e se preparar para o domingo que vem pela frente.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.