Descrição de chapéu Obituário Célia Nascimento do Val (1920 - 2019)

Leitora assídua por décadas, era contemporânea da Folha

Aposentada mantinha na rotina começar atividades diárias com leitura do jornal

Ricardo Hiar
São Paulo

Todas as manhãs, logo após acordar, a funcionária pública aposentada Célia Nascimento do Val seguia até a portaria do prédio onde morava para buscar a edição da Folha. Ela lia todo o jornal antes mesmo de tomar o café, pois dizia que queria saber do que estava acontecendo antes dos demais afazeres. 

Nascida em São José do Rio Pardo, no interior paulista, ela migrou para São Paulo com os pais e os três irmãos, onde radicaram-se no bairro Santa Cecília. Filha caçula, ela nunca se casou e sempre morou com os pais. 

Célia do Val, leitora contemporânea da Folha em entrevista ao jornal - Reprodução

Quando eles morreram continuou no mesmo endereço, onde adorava receber a visita dos familiares e amigos, em especial os sobrinhos, que eram muito próximos. "Ela estava sempre pronta para nos receber. Era otimista e gostava de colocar as pessoas para cima. Era comum dizer 'não se preocupe, tudo passa'", lembra a sobrinha Ana Maria.   

 

Célia foi resistente à internet, mas lia muito e tinha sempre uma resposta na ponta da língua. "Ela sabia tudo, do jogo de futebol que ia passar na TV ao que estava acontecendo na política. Estava sempre em dia com tudo", diz a sobrinha. 

Segundo ela, a tia também era muito independente e não abria mão manter sua autonomia mesmo após os 90.

Tanto que, mesmo sem ser obrigada, fez questão de votar nas eleições de 2016. Em meio ao clima tenso em 2018, no entanto, desistiu de ir às urnas na escolha presidencial.

A idosa também gostava muito de viajar e conseguiu realizar o sonho de conhecer Marrocos e Israel depois de aposentada.

Em 2018 Célia falou à TV Folha sobre sua relação com o jornal que tinha a sua idade, 97. Para ela era motivo de orgulho falar da publicação que ela aprendeu a ler com o pai.

No dia 7 de fevereiro, aos 98 anos, o coração de Célia parou de forma tranquila. Ela deixa dois sobrinhos, sobrinhos-netos e sobrinhos-bisnetos.


coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missas​​​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.