Descrição de chapéu Agora

Prefeitura vai visitar 13 mil casas para vacinar contra febre amarela em SP

Objetivo é ir de casa em casa na região do zoológico, na zona sul, para aplicar a dose contra o vírus

Regiane Soares
São Paulo

A Prefeitura de São Paulo, sob a gestão Bruno Covas (PSDB), fará uma busca de casa em casa por pessoas que não tomaram a vacina contra a febre amarela na zona sul da capital.

A expectativa da Secretaria Municipal de Saúde é visitar 13 mil imóveis num raio de 300 metros do zoológico e do Jardim Botânico, na região dos bairros do Jabaquara, Cursino e Sacomã, a partir desta terça-feira (12).

Pelo menos 200 agentes de saúde participarão da ação. Quem ainda não tiver tomado a vacina, poderá ser ser imunizado em casa.

A ação é uma prevenção contra a febre amarela na capital. Na sexta-feira passada, um macaco do zoológico foi diagnosticado com febre amarela. O animal foi isolado e está sendo monitorado, segundo a Secretaria Estadual de Saúde.

Os macacos são os primeiros a contrair o vírus da febre amarela, fazendo com que as autoridades tomem medidas de prevenção para evitar a doença em humanos.

No fim de semana, um posto volante de vacinação foi instalado na entrada do zoológico e foram aplicadas 584 doses da vacina.

A secretaria recomenda que os visitantes do zoológico e do Jardim Botânico tomem a vacina contra a febre amarela. Porém, são necessários dez dias para que a vacina comece a proteger contra o vírus da doença.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, 77,5% dos moradores da capital já foram vacinados, o que equivale a 9 milhões de doses aplicadas. Outras 2,6 milhões de pessoas ainda precisam ser imunizadas contra a doença.

No ano passado foram 13 casos de febre amarela contraídos na cidade de São Paulo, que resultaram na morte de seis pessoas. Neste ano ainda não foi registrado nenhum caso.

Os agentes de saúde também orientarão os moradores sobre o combate ao mosquito Aedes aegypti, que transmite os vírus da dengue, chikungunya e zika.

Agora
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.