Sobe para sete número de mortos em decorrência das chuvas no Rio

Temporais começaram na quinta-feira (7)

São Paulo | UOL

O número de mortos em decorrência do temporal que atingiu o Rio de Janeiro na última quinta-feira (7) subiu para sete neste sábado (9). A Secretaria Municipal de Saúde do Rio confirmou a morte de Áureo Ribeiro da Paz, 64, que estava internado desde a quinta-feira no Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Além de Áureo, Arthur Ribeiro da Paz, filho dele, continua internado e, segundo a pasta, tem quadro de saúde estável.

Áureo e o filho foram resgatados após a casa onde eles moravam, em Barra de Guaratiba, na zona oeste da cidade, desabar, matando a mulher dele, Isabel Martins da Paz, 56, e o filho dela, Mauro Ribeiro da Paz, 32. Cunhado de Isabel, Ari Ribeiro da Paz, 61, mora em um imóvel acima da casa das vítimas e contou que os imóveis foram atingidos primeiro por uma árvore. Logo em seguida, a construção desabou, soterrando a cunhada e o sobrinho.

Áureo é a sétima vítima das fortes chuvas que caíram na quinta-feira na cidade do Rio de Janeiro. Além dele, duas pessoas que estavam dentro de um ônibus no momento em que ele foi atingido por uma uma encosta no morro do Vidigal também morreram. No momento do acidente, o veículo trafegava pela avenida Niemeyer, que liga o Leblon a São Conrado e é uma das principais vias de acesso entre as zonas sul e oeste. O motorista foi retirado com ferimentos.

Uma terceira vítima morreu após a queda de um muro também no Vidigal. Na comunidade da Rocinha, na zona sul, um deslizamento de terra matou outra pessoa.

RETORNO AO ESTADO DE ATENÇÃO

A cidade do Rio de Janeiro saiu do estado de crise para o de atenção às 10h30 deste sábado. Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, equipes da prefeitura permanecem atuando para finalizar as ocorrências causadas pelos impactos da chuva. De acordo com o Alerta Rio, a probabilidade de deslizamentos é baixa em todas as áreas da cidade.

Segundo o Sistema Alerta Rio, este sábado está com céu parcialmente nublado a nublado e não há previsão de chuva. Os ventos são de intensidade fraca a moderada e as temperaturas permanecerão estáveis, com máxima prevista de 34°C e a mínima de 19°C".

A Avenida Niemeyer foi parcialmente liberada hoje no sistema pare-siga, nos dois sentidos, para o trabalho das equipes de emergência da prefeitura na contenção das encostas, remoção da lama e retirada de árvores com ameaça de queda. O tráfego na via é feito de maneira reduzida. A opção para quem trafega entre a Barra da Tijuca e São Conrado é utilizar o Túnel Zuzu Angel.

FALTA DE ENERGIA

A concessionária de distribuição de energia Light informou que ainda existem 6.800 clientes sem energia por conta do temporal. A empresa teve de reconstruir 12 quilômetros de rede elétrica, o equivalente a uma ponte Rio Niterói, em 48 horas, por conta do temporal. Em dias normais, seriam necessários de sete a 10 dias para fazer esse trabalho.

De acordo com a Light, a região mais crítica é a comunidade do Vidigal, na zona sul, com 1.200 clientes sem energia. "Estamos atuando na comunidade, em parceria com a prefeitura e com a Comlurb [Companhia de Limpeza Urbana] para liberar as vias de acesso. Devido à dificuldade de entrar na comunidade e à complexidade dos serviços, só conseguiremos restabelecer o fornecimento amanhã (10)", informou.

A Light informou ainda que não há mais grandes de trechos de bairros com interrupções. A empresa atua agora em casos isolados em diferentes pontos da cidade, como Gávea, Jacarepaguá, Tijuca e Barra. Em todas essas regiões, a empresa está com dificuldade de atuação, pois há árvores de grande porte sobre a rede elétrica.

A tempestade da última quarta-feira derrubou 595 árvores pelas ruas do Rio. A concessionária disse que está trabalhando ininterruptamente, com 2.000 profissionais em campo, para restabelecer completamente o fornecimento de energia para as regiões afetadas pelo temporal.

(Com informações da Agência Brasil)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.