Vice de Doria diz que irmão foragido da Justiça é assunto de 'foro íntimo'

Marco Aurélio Garcia, irmão de Rodrigo Garcia, foi condenado na máfia do ISS

Mariana Zylberkan
São Paulo

O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, afirmou se tratar de um assunto de foro íntimo o fato de seu irmão, Marco Aurélio Garcia, estar foragido da Justiça após condenação por corrupção no caso que ficou conhecido como máfia do ISS. 

“A Constituição e a lei são para todos. Essa é uma questão de família”, disse o vice-governador em coletiva de imprensa realizada na manhã deste sábado (2) no Palácio dos Bandeirantes, na zona oeste da capital.

Garcia também afirmou não saber onde o irmão está e nem se vai se entregar à polícia.

O empresário teve a prisão decretada nesta semana por envolvimento no escândalo da máfia do ISS. O Ministério Público estadual acionou a Interpol para encontrá-lo.

Os ex-fiscais Ronilson Bezerra Rodrigues e Fábio Remesso também tiveram a prisão decretada. Ronilson se apresentou à polícia nesta sexta-feira (1º). 

Eles foram condenados em segunda instância pela 4ª Câmara Criminal do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) por lavagem de dinheiro pela participação no esquema de cobrança de propinas. A prisão foi expedida após esgotarem-se os recursos possíveis, situação similar à do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A polícia, subordinada ao governador João Doria (PSDB), não conseguiu localizar os três. Como há a suspeita de que Garcia possa ter fugido do país, o apoio da Interpol está sendo solicitado pelos promotores do Gedec (núcleo de crimes econômicos), que investigaram o caso desde o início. 

Feita pela 4ª Câmara Criminal do TJ-SP, foi a primeira condenação em segunda instância relacionada ao escândalo de cobrança de propina de empresas para obtenção de descontos do ISS das obras, descoberta em 2013, que causou prejuízo estimado em R$ 500 milhões.

Descoberto pela CGM (Controladoria Geral do Município) na gestão de Fernando Haddad (PT), o esquema aconteceu a partir de 2007, na gestão de Gilberto Kassab (PSD), secretário da Casa Civil licenciado de João Doria (PSDB).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.