Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Após 6 horas de silêncio, Bolsonaro define tragédia em Suzano como 'monstruosidade'

Criticado por demora, presidente se pronunciou após declarações do vice e de ministros

Aluna chora após o ataque a tiros em escola em Suzano, em São Paulo
Aluna chora após o ataque a tiros em escola em Suzano, em São Paulo - Nelson Almeida/AFP
Gustavo Uribe
Brasília

Após mais de seis horas de silêncio, o presidente Jair Bolsonaro lamentou na tarde desta quarta-feira (13) a morte de oito pessoas em uma escola estadual em Suzano, cidade no interior de São Paulo.

Em mensagem nas redes sociais, ele definiu a tragédia como monstruosidade e covardia e prestou condolências aos familiares das vítimas do ataque a tiros.

"Presto minhas condolências aos familiares das vítimas do desumano atendado ocorrido hoje na escola Professor Raul Brasil, em Suzano. Uma monstruosidade e covardia sem tamanho. Que Deus conforte o coração de todos", escreveu.

A manifestação do presidente ocorreu depois de integrantes de sua equipe ministerial já terem se pronunciado. Mais cedo, o ministro da Secretaria-Geral, Floriano Peixoto, classificou o episódio como "tristíssimo". E o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, desejou sentimentos às famílias das vítimas.

As mensagens de pesar também foram divulgadas pelo vice-presidente Hamilton Mourão e pelos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli. "É muito triste e temos de chegar à conclusão por que isso está acontecendo. Essas coisas não aconteciam no Brasil”, disse Mourão.

Antes da mensagem do presidente nas redes sociais, o Palácio do Planalto divulgou nota oficial, não assinada por Bolsonaro, lamentando o ocorrido. O documento ressaltou que o país foi abalado por uma "grande tragédia" e ofereceu "sinceros sentimentos às famílias das vítimas de tão desumana ação". 

A demora do presidente foi criticada, em caráter reservado, por integrantes de partidos que apoiam o governo no Congresso. Para eles, Bolsonaro deveria, pelo menos, ter manifestado solidariedade às vítimas em mensagem nas redes sociais.

Um homem e um adolescente mataram ao menos oito pessoas e feriram outras dez em um ataque a tiros na escola estadual Professor Raul Brasil em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, na manhã desta quarta-feira (13). As vítimas são cinco alunos, duas funcionárias e o dono de uma locadora de carro próxima ao local. Os atiradores são ex-alunos da instituição e também morreram.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.