Moro lamenta ataque em escola e diz que ministério está à disposição de SP

Ministro afirmou que os fatos ainda estão sendo apurados e que presta solidariedade às famílias

Brasília

O ministério da Justiça e Segurança Pública, comandado por Sergio Moro, lamentou em nota o atentado na escola estadual em Suzano onde ao menos oito pessoas foram mortas em um ataque a tiros. 

"O ministério da Justiça e Segurança Pública lamenta o grave atentado à escola estadual professor Raul Brasil, em Suzano (SP), que provocou o trágico assassinato de crianças e funcionários e presta solidariedade aos familiares neste momento de dor e tristeza. Os fatos ainda estão sendo apurados pelas autoridades competentes e o ministério se coloca à disposição do governo do estado de São Paulo", diz o comunicado da pasta. 

Nesta quarta-feira (13), ao menos cinco alunos e dois funcionários foram mortos em um ataque a tiros em uma escola estadual de Suzano, na região metropolitana de São Paulo. Cinco vítimas morreram na hora do ataque e outras duas após serem levadas ao hospital. A oitava vítima, um empresário, foi morto momentos antes do massacre na escola.

Segundo informações da Polícia Militar, Luiz Henrique de Castro, 25, e Guilherme Taucci Monteiro, 17, atiraram contra os alunos. Em seguida, um teria atirado no outro e depois cometido suicídio. O crime aconteceu na escola Professor Raul Brasil, próxima ao centro da cidade. Há ao menos outras onze pessoas feridas, duas em estado grave, de acordo com o Corpo de Bombeiros.

A escola oferece ensino fundamental e médio e um centro de estudos de língua, para estudantes de 11 a 18 anos. Mas, no momento dos disparos, havia apenas adolescentes do ensino médio e estudantes de línguas. Já houve no país ao menos outros sete casos similares ao de Suzano com atiradores (alunos ou não) dentro de escolas abrindo fogo contra estudantes e outras pessoas. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.