Descrição de chapéu Obituário Ana Maria Veronesi (1967 - 2019)

Mortes: Líder espiritual, médica cuidava do corpo e da alma

Especializada em obstetrícia, Ana Maria atuava em casos de alto risco para garantir que mãe e bebê ficassem bem

Ricardo Hiar
São Paulo

Quando Ana Maria entrou no curso de medicina da Universidade de Taubaté, no interior paulista, não foi nenhuma surpresa para a família. A decisão foi vista como um meio dela aperfeiçoar uma característica nata e marcante: a disposição de cuidar de quem estava ao seu redor. 

“Ela tinha uma personalidade um pouco matriarcal. Na família era quem conduzia aos demais, foi uma segunda mãe para nós, e o nosso arrimo afetivo e espiritual”, lembra a irmã Patrícia.

Apaixonada por crianças, a médica especializou-se em obstetrícia. Mantinha uma rotina intensa de trabalho no SUS para atender dezenas de gestantes e fazia questão de atuar em casos de alto risco para garantir que as mães e os bebês permanecessem bem durante todo o processo. 

E não era diferente com as mulheres da família. Quando Patrícia entrou no trabalho de parto da primeira filha, Ana Maria correu para o hospital. Ao entrar no centro cirúrgico, pediu para realizar o procedimento. “Ela sabia que eu estava insegura e não fez só a parte técnica naquele momento, mas foi meu apoio.” 

Espiritualizada, a médica também priorizava os cuidados da alma. Na Umbanda ela encontrou respostas e pôde direcionar a sua fé. Muito dedicada e estudiosa, tornou-se dirigente espiritual e demonstrava preocupação genuína com seus assistidos. 

Tanto na profissão, como na religião, Ana Maria fez muitos amigos e gostava de recebê-los em casa. “Ela abria as portas da casa e do coração a qualquer momento quando alguém precisava”, diz a irmã.

Há 18 anos a médica tornou-se mãe do coração dos gêmeos Vinícius e Rafael. Trazer os garotos para a família foi um dos momentos mais especiais da vida, conforme ela dizia. 

O segundo momento marcante foi a entrada dos dois na faculdade, em 2019. Seu sonho era vê-los formados, mas não teve tempo. Ela morreu no dia 8 de fevereiro, aos 51 anos, devido a uma 
dengue hemorrágica.


coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missas

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.