São Paulo tem 219 homicídios dolosos em fevereiro, menor número desde 2002

Estatísticas do governo também apontam queda em todos os indicadores de violência em fevereiro

Rogério Pagnan
São Paulo

O estado de São Paulo registrou em fevereiro deste ano 219 homicídios dolosos (intencionais), o menor número de vítimas desse tipo de crime desde o início da série história, iniciada em 2002.

Esse número também representa uma redução de 11% em comparação ao mesmo período do ano passado, quando foram anotadas 246 vítimas.

Antes desse, o menor número de homicídios havia sido registrado em setembro do ano passado, com 232 homicídios, em meio a uma sequência de quedas seguidas do indicador. Em 2002, início da série histórica, São Paulo registrou em fevereiro 980 vítimas —mais do que o quádruplo do registrado no mês passado.

Esses números fazem parte das estatísticas oficiais divulgadas pela gestão João Doria (PSDB) nesta quarta-feira (27), que também apontam queda nos principais indicadores de violência como furto, roubo, latrocínio e estupro.

A queda de homicídios mantém uma tendência iniciada no estado no início dos anos 2000 após investimento em setores de investigação (como DHPP), melhor aparelhamento das polícias, e consolidação do crime organizado em praticamente em uma única fação (PCC), o que reduz a mortes entre gangues.

Policiamento reforçado em rua da região central de São Paulo em fevereiro
Policiamento reforçado em rua da região central de São Paulo em fevereiro - Rubens Cavallari - 15.fev.19/Folhapress

O delegado-geral da Polícia Civil, Ruy Ferraz Fontes, diz que a redução dos indicadores de violência, o que inclui os homicídios, é resultado de trabalho das polícias paulistas. Segundo ele, a sensação de segurança cresce com esforços de policiamento.

“Isso está diretamente ligado à presença da polícia na rua. Há uma dificuldade enorme do sujeito que pensa em praticar um crime sair na rua sem correr de ser abordado, de ser preso, tanto pela Polícia Civil quanto pela Polícia Militar”, disse ele.

Quanto ao DHPP (Homicídios), Fontes disse que o setor deve receber investimentos para compra de equipamentos e mudança em alguns procedimentos para aumentar a eficácia na investigação. “Nós vamos melhorar ainda mais”, disse.

O comandante-geral da PM, coronel Marcelo Vieira Salles, também atribui à presença da força policial na rua com um dos fatores que contribuíram para redução dos indicadores, em trabalho conjunto com a Polícia Civil. "É um trabalho feito a várias mãos", disse o oficial.

Sobre o trabalho da PM, ele destaca a série de operações realizadas desde o início do ano, como a São Paulo Mais Segura, que só em fevereiro empregou 77.414 policiais (acumulado) em quatro grandes operações. "Acredito ser possível reduzir ainda mais [o indicador], mas estamos brigando agora com nossos próprios números."

A diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Samira Bueno, diz que o “número de mortes sendo reduzido é sempre algo a ser comemorado”, mas afirma que é difícil apontar os motivos dessa queda sem uma explicação mais detalhada.

“Claro que isso é importante, é louvável, tem que ser comemorado, mas é muito difícil dizer o que aconteceu nesses dois primeiros meses deste ano de diferente. Eu acredito que tenha mais políticas que vinham sendo implementadas do que algo que começou a acontecer agora na gestão do governador, Doria”, disse.

Segundo a pesquisadora, há dois fenômenos que o estado precisaria divulgar mensalmente: os feminicídios e a letalidade policial. “Sociedade segura é aquele que consegue reduzir todo o tipo de morte”, disse ela.

Quanto aos estupros, um dos crimes apontados pela polícia entre os de mais difícil combate, a queda apontada pelo governo foi de 5%: foram de 999 crimes noticiados em fevereiro de 2018 para 946 denunciados mês passado.

Entre os crimes com as maiores quedas registradas está o latrocínio, de 45%. Eles foram de 22 para 12 casos. Embora em números absolutos os latrocínios sejam poucos, esse tipo de crime está entre aqueles que mais causam sensação de insegurança na população, segundo estudos de vitimização.

Outra queda significativa em São Paulo ocorreu nos roubos de veículo: foram de 4.508 casos em fevereiro do ano passado aos atuais 3.562, uma queda de 21%.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.