Descrição de chapéu Rio de Janeiro

Seguranças imobilizam e agridem ambulante em shopping no Rio

O homem foi solto depois que clientes se desesperam e começam a gritar

Rio de Janeiro

Seguranças do shopping Bay Market, em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, imobilizaram e agrediram um ambulante que vendia doces dentro do local na tarde da última terça-feira (26), assustando clientes que estavam no entorno.

Em um vídeo que circula na internet feito por uma visitante, três funcionários tentam segurar o jovem, que se solta e vai para cima dos vigias. Um deles revida com um chute, e outro dá um "mata leão" no rapaz. Uma quarta segurança tenta impedir a filmagem.

O ambulante é solto depois que clientes se desesperam e começam a gritar. A mulher que grava as imagens diz: "Solta ele, ele está trabalhando, ele não mexeu com ninguém" e depois "eu vou filmar, eu tenho direito".

A administração do shopping confirmou que "foi registrada uma ocorrência envolvendo um vendedor ambulante e a equipe de segurança" e informou que a direção "está tomando as medidas necessárias e se coloca à disposição das autoridades para colaborar com as investigações”.

A Polícia Militar afirmou que não tem informações sobre o caso, e a Polícia Civil disse que não houve registro na delegacia da área. A confusão aconteceu por volta das 14h no terceiro andar do edifício, próximo à praça de alimentação.

A bibliotecária Luciana Rodrigues, 34, foi ao shopping para comprar um livro quando se deparou com a cena. "Derrubaram ele, bateram muito na barriga, deram chute, ponta-pé, cassetete. Quando ele 'arriou' no chão, foi atingido principalmente no tórax e na barriga", contou.

Ela afirma que ouviu de funcionários do local que não era o primeiro caso de agressão no estabelecimento e que "os seguranças são violentos". O shopping fica ao lado de um terminal de ônibus, por isso é frequente a circulação de vendedores ambulantes ali.

"Não estou acostumada com violência. Nunca tinha visto algo tão forte nem de PM ou guarda no meio da rua", disse a cliente. Segundo ela, as agressões só pararam quando os visitantes intervieram. "O pessoal foi para cima mesmo, porque o medo na hora foi acontecer o que aconteceu na Barra [da Tijuca], onde aquele rapaz foi assassinado."

 
Jovem morre após ser imobilizado por segurança em supermercado no Rio - Reprodução

Ela se refere ao caso de Pedro Henrique Gonzaga, 19, que morreu em 14 de fevereiro após ser imobilizado pelo vigia Davi Ricardo Amâncio no supermercado Extra, na zona oeste do Rio. O episódio também ficou conhecido depois que um vídeo circulou na internet.

Amâncio agora responde por homicídio com dolo eventual, porque teria assumido o risco de matar. A polícia concluiu no inquérito que o funcionário pressionou o pescoço do jovem por cerca de sete minutos e foi alertado ao menos 11 vezes por clientes de que ele estava roxo, desmaiado e não oferecia resistência. 

A defesa do vigia alegou que o garoto estava agressivo --ele era dependente químico, segundo a família-- e entrou em luta corporal com o segurança, chegando a pegar sua arma. O episódio causou uma série de protestos em ao menos seis capitais pelo país e reacendeu um debate sobre racismo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.