Bolsonaro diz em encontro com a imprensa que país não deve ser destino gay

No evento, ele disse ainda ter recebido multa em volta de moto; órgãos de trânsito não confirmam

São Paulo

Em café da manhã com jornalistas na manhã desta quinta-feira (25), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que “o Brasil não pode ser um país do mundo gay, de turismo gay”, porque aqui “temos famílias”.

O mandatário fez a declaração ao ser questionado por um dos veículos presentes sobre a sua fama de homofóbico.

Segundo Bolsonaro, o fato de ele ter desde 2009 adotado uma agenda conservadora lhe valeu tal percepção no exterior, mas isso não prejudicava investimentos no Brasil.

A fala do presidente foi comentada no Jornal Nacional — o repórter João Borges, da GloboNews, foi um dos 15 presentes ao evento, do qual a Folha não participou.

No encontro —durante o qual o presidente comentou temas como a Previdência, a relação com o vice, Hamilton Mourão, e o pacote anticrime do ministro Sergio Moro—, o presidente afirmou ainda que teria sido multado no passeio de motocicleta que deu, com o capacete apoiado na testa, no Guarujá, litoral de São Paulo.  "Estou esperando a multa chegar", disse ele, segundo a revista Época.

O Palácio do Planalto confirmou à Folha que o presidente disse ter sido multado.  O Detran (Departamento Estadual de Trânsito), contudo, não confirma a informação. 

O órgão afirmou à reportagem que não recebeu, até o momento, auto de infração relacionado ao caso. 
A Polícia Militar autua infratores em nome do departamento de trânsito, mas, procurada, não deu resposta até a conclusão desta edição.

Alguns batalhões ainda não enviaram registros de infração referentes ao feriado.

O Detran também disse que não pode multar o presidente com base no vídeo que mostra a cena, compartilhado em redes sociais.

O presidente Jair Bolsonaro pilota moto em Guarujá (SP) com o capacete levantado
O presidente Jair Bolsonaro pilota moto em Guarujá (SP) com o capacete levantado - Reprodução

A prefeitura de Guarujá, por sua vez, afirmou que a Diretoria de Trânsito do município não multou o presidente.

Especialistas em trânsito consultados pelo jornal afirmaram que o presidente cometeu uma infração ao circular com o capacete levantado, apoiado na testa. 

Segundo o advogado especialista em trânsito Maurício Januzzi, que já foi presidente da comissão de direito viário da OAB-SP, andar dessa forma é o mesmo que estar sem o equipamento de proteção. A infração é gravíssima e leva à perda de 7 pontos na carteira, diz. 

O presidente Jair Bolsonaro (de capacete) pilota moto em Guarujá (SP)
O presidente Jair Bolsonaro (de capacete) pilota moto em Guarujá (SP) - Gilmar Alves Jr/Folhapress

Dois dias depois do episódio no litoral, o porta-voz do governo, general Otávio Rêgo Barros, afirmou que o presidente possui habilitação necessária para conduzir o veículo. 

"O presidente compreende a importância de estar adequado à legislação do código nacional de trânsito", disse.

​Questionado novamente sobre o documento, respondeu: "ele tem carteira de moto".

Participaram do encontro com Bolsonaro na manhã desta quinta Ailton Nasser (Record News), Erick Klein e Franz Vazek (Rede TV), Ricardo Gandour (CBN), Rodrigo Rangel (Crusoé), Cláudia Safatle (Valor Econômico), Andreza Matais (O Estado de S. Paulo), André Lahóz Mendonça de Barros (Exame), Daniela Pinheiro (Época), André Petry (Veja), Carlos José Marques (IstoÉ), Felipe Moura Brasil (Jovem Pan), Sheila Magalhães (Rádio Band News), Marcelo D´Angelo (Band News), João Borges (GloboNews) e Leandro Cipoloni (CNN Brasil).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.