Planalto diz que Bolsonaro tem carteira para pilotar moto

Em vídeo, presidente aparece com capacete levantado, apoiado na testa

Talita Fernandes Gustavo Uribe
Brasília

​Dois dias depois de o presidente Jair Bolsonaro ter deixado o hotel militar onde estava hospedado para dar uma volta de motocicleta, em Guarujá (SP), o porta-voz do governo, general Otávio Rêgo Barros, afirmou que o presidente possui habilitação necessária para conduzir o veículo. 

"O presidente compreende a importância de estar adequado à legislação do código nacional de trânsito", disse. Questionado novamente sobre se o presidente tem o documento necessário, Rêgo Barros respondeu: "ele tem carteira de moto".

No sábado (20), Bolsonaro deixou o hotel militar onde estava hospedado em Guarujá e deu uma volta de moto pela cidade do litoral paulista. Bolsonaro saiu do local pilotando a moto às 18h35. O objetivo da "escapada" e o destino não foram divulgados.
 

O presidente Jair Bolsonaro pilota moto em Guarujá (SP)
O presidente Jair Bolsonaro pilota moto em Guarujá (SP) - Credito Reproducao

O presidente passou o feriado da Semana Santa na cidade do litoral paulista. Ele ficou hospedado no Hotel de Trânsito da sede da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, no Forte dos Andradas.

Trechos de vídeos distribuídos a jornalistas mostraram o presidente circulando com o capacete levantado, que fica apoiado na sua testa.  

Segundo especialistas ouvidos pela Folha, ele teria cometido uma infração de trânsito em sua volta de moto.

O advogado especialista em trânsito Maurício Januzzi, que já foi presidente da comissão de direito viário da OAB-SP, afirma que andar com o capacete levantado dessa forma é o mesmo que estar sem o equipamento de proteção.

“É uma infração gravíssima. A penalidade é multa, 7 pontos na carteira, e a pessoa sofre um procedimento de suspensão da carteira de habilitação. Como mandatário da nação ele deu um péssimo exemplo de como conduzir motocicleta”, afirmou Januzzi. De acordo com ele, como há imagens, o presidente pode sofrer as punições.

Questionado sobre o tema, e sobre se o presidente reconhecia que havia um erro ou se arrependia de ter usado o capacete dessa forma, o porta-voz repetiu apenas que Bolsonaro respeita as leis de trânsito.
"O senhor presidente compreende a importância do código nacional de trânsito e como qualquer cidadão a ele este código se submete."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.