Suspeito em caso de helicóptero carregado com cocaína é encontrado morto

Polícia Civil suspeita que ele tenha se suicidado

São Paulo

Um suspeito de envolvimento com a quadrilha que transportava meia tonelada de cocaína em um helicóptero apreendido no último sábado (13) foi encontrado morto nesta segunda-feira (15) num quarto de motel em Presidente Prudente (SP), a cerca de 550 km da capital.

A Polícia Civil suspeita que ele tenha se suicidado.

Segundo a polícia, o homem, que não teve a identidade revelada, estava no local em que o helicóptero foi apreendido pela PF no sábado e conseguiu fugir. Ele vinha sendo procurado desde então e foi encontrado na segunda, no motel, com um ferimento de tiro de pistola na cabeça.

Os policiais apuraram que ele entrou sozinho no quarto —o local não tinha sinais de arrombamento ou luta corporal.

Um inquérito sobre o caso foi instaurado nesta terça-feira (16). As autoridades ouvirão testemunhas e buscarão outros indícios que ajudem a esclarecer o caso.

De acordo com a SSP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo), a Polícia Federal foi acionada e fez as diligências necessárias no local.

A SSP e a Polícia não informaram qual seria a relação exata do homem com a quadrilha.

Helicóptero com meia tonelada de cocaína foi apreendido na madrugada deste sábado
Helicóptero com meia tonelada de cocaína foi apreendido na madrugada deste sábado - Polícia Federal

Operação da PF

A PF (Polícia Federal) apreendeu no último sábado a aeronave avaliada em R$ 4 milhões carregada com drogas em Presidente Prudente (SP). Investigadores afirmaram ao UOL que o helicóptero era utilizado pelo PCC (Primeiro Comando da Capital) para importar drogas do Paraguai.

A viagem entre o país vizinho e o interior de São Paulo de helicóptero é uma das principais rotas de entrada de drogas no Brasil. As outras duas são pela Amazônia e pela fronteira com a Bolívia. Ao entrar no país, a droga costuma ser redistribuída para as capitais e enviadas a portos. De lá, é enviada para a Europa e África.

A operação, batizada de Flying Low (voando baixo, em inglês), foi caracterizada por investigadores como de inteligência. Os policiais analisaram por meses a rotina dos criminosos até conseguirem fazer o flagrante. Duas pessoas foram presas no momento da abordagem.

Segundo a PF, como a aeronave não tem autonomia para fazer o percurso até a cidade de São Paulo, os traficantes costumavam fazer uma parada para reabastecimento em um matagal localizado na região de Presidente Prudente, onde foram interceptados.

Na mesma ação, também foram apreendidos uma arma, carros e dinheiro em espécie.

UOL
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.