Avião em que morreu Gabriel Diniz não tinha autorização para táxi aéreo

Monomotor tinha autorização apenas para voos de instrução

São Paulo

A aeronave que caiu no fim da manhã desta segunda-feira (27) e que levava o cantor Gabriel Diniz, 28, não tinha autorização para fazer táxi aéreo. Gabriel estava a caminho de Maceió para encontrar com a namorada, que faz aniversário hoje

Segundo informações da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a aeronave é do Aeroclube de Alagoas e tinha a autorização apenas para fazer voos de instrução. A Folha tentou ligar para o presidente do aeroclube, mas não obteve resposta.

Ainda de acordo a agência, a aeronave tinha o Certificado de Aeronavegabilidade, ou seja, autorização para voar, até 2023. A inspeção mecânica do monomotor também estava em dia e vigente até 2020.

O monomotor Piper, modelo PA-28-180, tinha o prefixo PT-KLO. A aeronave foi fabricada em 1974 e tinha a capacidade para o transporte de apenas três passageiros, mais o piloto. 

A queda ocorreu na cidade de Estância, próximo à Ponta do Saco, uma área de mangue e de difícil acesso. O Grupamento Tático Aéreo do estado está atuando para o resgate de corpos.

O piloto Linaldo Xavier está entre as vítimas confirmadas pela PM de Sergipe. Engenheiro eletricista, ele se dividia entre a profissão e a aviação executiva. Ele fez o curso de piloto no Aeroclube de Alagoas, onde estava registrada a aeronave que se acidentou.

 
O outro piloto que estava a bordo do monomotor era Abraão Farias. Linaldo e Abraão constam como diretores do Aeroclube de Alagoas, que é dono da aeronave.
Piloto Linaldo Xavier está entre as vítimas de acidente aéreo em Sergipe
Piloto Linaldo Xavier está entre as vítimas de acidente aéreo em Sergipe - Reprodução/Facebook

A Aeronáutica disse em nota nesta segunda que já iniciou o processo de investigação pelo acidente. A investigação deverá contar com fotografias, documentos e testemunhos sobre o acidente. A Aeronáutica ressalta que sua investigação tem como objetivo prevenir novos acidentes do tipo. 

Em nota, a Anac afirmou que está verificando as condições em que o transporte do cantor foi realizado e, no caso de comprovação de irregularidades, os responsáveis pela aeronave poderão ser multados e ter licenças e certificados cassados.

Em sua página em uma rede social, o Aeroclube de Alagoas, proprietário do monomotor, divulgava voos panorâmicos para interessados em avistar o litoral de Maceió de cima. De acordo com a Anac, a modalidade é permitida no caso de aeroclubes. 

Aeroclube de Alagoas divulga voos panorâmicos em uma rede social
Aeroclube de Alagoas divulga voos panorâmicos em uma rede social - Reprodução

A aeronave acidentada já foi, inclusive, cenário de um ensaio de fotos protagonizado por um casal de noivos que moravam em cidades diferentes e, por isso, tinham que viajar com frequência para se verem.

Casal de noivos fez ensaio romântico ao lado de monomotor que caiu
Casal de noivos fez ensaio romântico ao lado de monomotor que caiu - Reprodução

Em fevereiro de 2019, o jornalista Ricardo Boechat também morreu em um acidente aéreo em um helicóptero que não tinha autorização para fazer táxi aéreo

Comentando o acidente de Boechat, o engenheiro aeronáutico Shailon Ian, CEO da consultoria Vinci Aeronautica, disse que o transporte irregular de passageiros é “um dos maiores problemas enfrentados na aviação hoje”. “Uma empresa de táxi aéreo passa por um processo longo de certificação na Anac com várias exigências que quem pratica o transporte clandestino ou pirata não se submete”, afirma. 

Táxi Aéreo

Passageiros que queiram usar o serviço de táxi aéreo devem tomar alguns cuidados como a análise da matrícula da aeronave (número de inscrição). Com o prefixo, é possível  consultar o site da Anac, no item "Consulta RAB online", para verificar se a aeronave é habilitada —deve aparecer o termo "táxi aéreo"

A Anac afirma que, na consulta, é importante verificar a data de validade do certificado de aeronavegabilidade (CA) —que deve constar como "normal"— e da Inspeção anual de manutenção (IAM). 
Para especialistas, entretanto, o sistema para checar a matrícula é pouco amigável. 

​Além disso, a expressão "táxi aéreo" deve estar escrita perto da porta principal, na fuselagem, de forma bem visível.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.