Estudante é morto a tiros em banheiro de escola pública na Grande Recife

Ninguém foi preso até o momento; não havia câmeras de segurança no local

João Valadares
Recife

Um estudante de 16 anos foi assassinado a tiros de revólver, na noite desta segunda-feira (20), no banheiro de uma escola municipal do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife.

As aulas da escola Professor Antônio Benedito da Rocha, no bairro de Cidade Garapu, foram suspensas logo após o crime e vão ser retomadas na manhã desta quarta-feira (21).

Em nota oficial, a escola informou que o assassinato ocorreu no momento em que os alunos estavam entrando na unidade de ensino, por volta das 19h. Os portões tinham sido abertos uma hora antes.

Emerson Felisberto da Silva foi atingido por quatro tiros na cabeça. Ele ainda foi encaminhado à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Cabo de Santo Agostinho, mas faleceu antes de chegar à unidade de saúde.

escola onde estudante foi assassinado, em cabo santo agostinho (PE)
Escola onde estudante foi assassinado em Cabo Santo Agostinho (PE) - Reprodução


A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar o caso, mas não adiantou detalhes da investigação. Ninguém foi preso até o momento.

A escola informou que o acesso às dependências do local é controlado por porteiros que trabalham durante os três turnos de funcionamento.

A prefeitura do Cabo de Santo Agostinho comunicou que vai instalar câmeras de videomonitoramento em 27 escolas no município, incluindo a Antônio Benedito da Rocha . 

Os investigadores estão tentando coletar imagens gravadas por câmeras instaladas em casas da vizinhança numa tentativa de solucionar o crime.

A direção da escola informou que o aluno tinha um comportamento normal e não havia relatado sofrer qualquer tipo de ameaça.

A escola, considerada modelo, com quadras poliesportivas, piscina, teatro e salas de robótica, tem 1.060 alunos. No turno da noite, são 196 estudantes.

A unidade de ensino integra o projeto “Escola Segura”, que conta com rondas ostensivas por parte da guarda municipal.

Após o assassinato, o colégio criou um comitê estratégico, com psicólogos e pedagogos, para colocar em prática um plano de ação de acolhimento de pais e alunos no retorno.

Emerson morava com um irmão mais velho no Cabo de Santo Agostinho. Entrou no colégio no ano passado e pediu para estudar no turno da noite porque queria trabalhar durante o dia.

Até as 19h desta terça-feira, o corpo do estudante ainda estava no IML (Instituto de Medicina Legal) aguardando liberação.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.