Mackenzie volta a expulsar aluno que falou em morte de 'negraiada' nas eleições

Desligamento de estudante estava suspenso desde janeiro por decisão judicial

Após realizar novo processo disciplinar, a Universidade Presbiteriana Mackenzie expulsou o estudante Pedro Bellintani Baleotti, que apareceu em vídeos falando em morte à ‘negraiada’, na época das eleições de 2018. 

Em dezembro, a instituição já havia desligado o aluno, que cursava direito, após o parecer de uma comissão sindicante. Baleotti, então, entrou com um mandado de segurança na Justiça Federal contra o ato do reitor. 

Pedro Bellintani Baleotti, 25, estudante do Mackenzie que gravou vídeo desejando morte à "negraiada" após eleição de Bolsonaro - Reprodução

Em janeiro, a juíza federal Sílvia Figueiredo Marques suspendeu a expulsão, por considerar que houve irregularidades na composição da comissão. 

O Mackenzie pediu que fosse concedida uma liminar para suspender todas as atividades acadêmicas do estudante, até que um processo administrativo disciplinar sobre ele fosse concluído. A juíza, porém,  entendeu que não caberia à universidade (parte impetrada) pedir liminar dentro de uma ação apresentada pelo próprio aluno.

Segundo a assessoria de imprensa do Mackenzie, a decisão de desligamento do estudante foi publicada em portaria da reitoria em abril, após o término do processo administrativo instaurado na corregedoria da instituição.

O advogado de defesa do aluno, Norman Prochet Neto, não quis comentar a decisão. Mas disse que, durante o período em que esteve reintegrado à universidade, Baleotti chegou a realizar algumas provas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.