Quadrilha amontoa reféns em rotatória e explode banco no interior de Minas Gerais

Assalto ocorreu em agência da Caixa em Pouso Alegre; criminosos portavam fuzil

São Paulo

Uma quadrilha fortemente armada explodiu, na madrugada desta segunda-feira (20), uma agência bancária de Pouso Alegre, na região sul de Minas Gerais.

Segundo a Polícia Militar, entre 15 e 20 criminosos armados com fuzil invadiram a agência da Caixa Econômica Federal por volta da 1h30 e detonaram explosivos contra vários caixas eletrônicos.

A corporação não confirmou à Folha se o cofre da unidade foi afetado e nem se os criminosos conseguiram retirar algum valor dos terminais.

Reféns ficam amontados em rotatória durante assalto a agência bancária de Pouso Alegre, em Minas
Reféns ficam amontados em rotatória durante assalto a agência bancária de Pouso Alegre, em Minas - Reprodução

Durante a ação, os bandidos pararam um ônibus intermunicipal que passava pelo local e fizeram o motorista e os passageiros como reféns. Todos foram obrigados a descer do veículo e ficaram amontoadas no meio de uma rotatória.

Como a ação foi rápida, as vítimas ficaram por poucos minutos sob o poder do bando, que fugiu em ao menos cinco veículos.

Nenhum dos reféns se feriu. A Polícia Militar aguarda o contato dos passageiros e da empresa responsável pelo transporte para colher informações que ajudarão nas buscas aos suspeitos.

Segundo o major Demétrios Xavier Gomes, porta-voz da PM de Pouso Alegre, uma equipe da polícia, assim que acionada, chegou ao local da ocorrência cinco minutos depois, mas a quadrilha já havia deixado o local.

O major disse que o batalhão da polícia na cidade está localizado a cerca de 6 km da agência atacada.

Gomes afirmou ainda que os criminosos podem estar escondidos no estado de São Paulo. “Dois carros usados por eles foram encontrados em um cafezal na cidade paulista de Santo Antônio do Jardim. Dentro deles, achamos munições de fuzil”, disse.

Uma equipe do Bope (tropa de elite da Polícia Militar) de Belo Horizonte foi deslocada para Pouso Alegre para vistoriar o prédio da Caixa para recolher possíveis restos de artefatos que não foram detonados.

O porta-voz da PM afirmou ainda que o ataque, da forma como ocorreu, é o primeiro registrado na história recente de Pouso Alegre, cidade de 148 mil pessoas. “Muita gente ficou assustada com o barulho dos tiros.”

A Polícia Militar reforçou o policiamento na região para localizar os suspeitos, mas ninguém foi preso até esta publicação.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.