Sabesp perfura duto de gás, causa incêndio e deixa homem com 90% do corpo queimado em SP

Obra espalhou gás pelo interior de prédios da região da Sé, na região central

São Paulo

Uma obra da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) perfurou uma tubulação de gás natural e causou incêndio em um apartamento no centro de São Paulo, na madrugada desta sexta-feira (3).

Juarez Alves, 47, dormia quando as chamas tomaram conta de seu apartamento, no 7º andar de um prédio na altura do número 167 da rua Carmelitas, por volta das 3h. Ele teve 90% do corpo queimado e foi levado em estado grave de saúde para o pronto-socorro do Hospital das Clínicas.

Uma segunda vítima, que também residia no local, passou mal ao inalar uma grande quantidade de gás. Não foi informado o estado de saúde dela.

A Sabesp confirmou que o incêndio foi iniciado quando um grupo de funcionários da companhia fazia a troca da rede de água na rua Tabatinguera, próxima à rua Carmelitas. "A obra acabou atingindo a rede de gás. Imediatamente a equipe acionou a Comgás para o fechamento [da tubulação]", explicou a empresa por meio de nota.

A Sabesp lamentou o acidente e disse ainda que "vai colaborar com a apuração do caso assim como na prestação de assistência às vítimas". 

Equipes do Corpo de Bombeiros resgataram o morador atingido pelo incêndio, apagaram o fogo no apartamento dele e fizeram o isolamento da rede de gás afetada, que pertence à empresa Comgás.

Chamas são vistas em tubulação de gás rompida no centro de SP na madrugada desta sexta-feira (3)
Chamas são vistas em tubulação de gás rompida no centro de SP na madrugada desta sexta-feira (3) - Reprodução/TV Globo

Segundo Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros, a primeira suspeita é de que o apartamento pegou fogo porque o gás —que é mais leve que o ar e sobe com mais facilidade— pode ter se acumulado dentro da moradia e, com uma possível faísca, provocado o incêndio.

O vazamento de gás também tomou conta da rede de bueiros na região e forçou o esvaziamento de outros prédios do entorno devido a riscos de novas explosões.

Por causa do acidente, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) bloqueou a rua Tabatinguera junto à praça Dr. João Mendes, e a rua Frederico Alvarenga com a rua Alexandria. No início da noite, foram liberadas duas das três faixas da Tabatinguera. A interdição das ruas das Carmelitas e Frederico Alvarenga seguia interditada.

Segundo a Comgás, as causas do acidente estão sendo apuradas. A companhia proprietária da rede de gás natural disse que mantém uma equipe no local para restabelecer o funcionamento da distribuição do produto aos imóveis afetados. A Defesa Civil e a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) também monitoram a ocorrência.

A Sabesp informa ainda que atende os moradores que tiveram que deixar suas casas com uma tenda no Poupatempo da Sé. Segundo a companhia de saneamento, foram distribuídos alimentos e parte dos moradores foi encaminhada a hotéis da região.

 
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.