Descrição de chapéu Tragédia em Brumadinho

Com menor risco em barragem, moradores de Nova Lima (MG) ensaiam retorno

Barragem Vargem Grande registrou queda no nível de alerta; moradores saíram em fevereiro

São Paulo

Um grupo de 51 pessoas que foram retiradas às pressas de suas casas por estarem numa região sob risco de rompimento de uma barragem da Vale, em Minas Gerais, devem retornar às residências nos próximos dias.

As famílias viviam na região onde está erguida a barragem Vargem Grande, em Nova Lima, cidade de 93 mil habitantes localizada na Grande Belo Horizonte. Em fevereiro deste ano, a estrutura teve seu grau de segurança elevado para o nível 2, considerado crítico.

Após o alerta emitido, a Vale, com o apoio da Defesa Civil, precisou colocar em ação um processo de evacuação. As famílias afetadas foram retiradas do condomínio Solar da Lagoa e das vilas "A" e "Codornas", da empresa AngloGold Ashanti.

O trecho entre os kms 37 e 40 da BR-356 também permaneceu sob monitoramento da mineradora porque poderia ser atingido por um eventual rompimento da barragem.

Nesta quinta-feira (5), a Vale informou em comunicado que o grau de segurança da barragem aumentou, e o nível de alerta para possíveis rompimentos da estrutura caiu de 2 para 1.

Segundo a empresa, o rebaixamento do risco se deu após uma série de melhorias implementadas na barragem, “como o rebaixamento do nível de água do reservatório; limpeza dos canais de drenagem e estudos de sensibilidade junto à empresa auditora para avaliação do impacto do rebaixamento do nível d'água na estabilidade da barragem”.

Também foi feita uma detalhada avaliação técnica das deformações apresentadas no sistema de monitoramento por inclinômetros (instrumentos que monitoram as deformações). “A expectativa é de que, com a continuidade dessas ações, a estrutura seja totalmente retirada da condição de alerta”, disse a mineradora.

Uma reunião entre representantes da Defesa Civil e os moradores afetados na região será marcada para que seja feita uma avaliação do retorno das famílias às moradias.

Nova Lima possui 19 barragens da Vale; a empresa tem capacidade para produzir no município 13 milhões de toneladas de minério de ferro.

BARÃO DE COCAIS

Situação bem diferente vive a população de Barão de Cocais, cidade a 80 km da capital mineira. Os moradores vivem na iminência de uma queda da parede interna da mina do Gongo Soco, que poderia até provocar o terceiro rompimento de barragens em três anos e meio em Minas Gerais.

No dia 31 de maio, pedaços da parede caíram, segundo a mineradora Vale. 

A parte que se desprendeu mede 20 m por 30 m e equivale a menos de 1% do tamanho total da estrutura, de acordo com a Defesa Civil de Minas Gerais. O chamado talude —uma encosta íngreme— tem 192 m de altura e 500 m de largura. 

Em fevereiro, cerca de 440 pessoas foram retiradas da zona de autossalvamento, a primeira a ser atingida em caso de rompimento, quando a barragem teve nível de risco elevado para 2. No final de março, o nível de risco aumentou para 3 —o último grau, que significa ruptura iminente ou em curso. 

Mesmo que a queda do talude não cause o rompimento, a situação da barragem de rejeitos ainda preocupa. A Vale diz que continua monitorando a estrutura. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.