Jovem brasileiro que fazia intercâmbio na China é encontrado morto; causa está sendo investigada

Leonardo estudava letras na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e estava prestes a completar um ano na Universidade de Comunicação da China

Paula Sperb
Porto Alegre

Um estudante universitário brasileiro foi encontrado morto na China, na cidade de Chongqing, segundo o Itamaraty. Leonardo Cláudio da Rosa estava prestes a completar o intercâmbio de um ano na Universidade de Comunicação da China, em Pequim, onde estudava o idioma mandarim e literatura chinesa.

Natural de Caxias do Sul, o estudante estudava letras na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, desde 2015, quando ingressou no curso aos 23 anos. 

Segundo o Instituto de Letras, a morte do aluno foi confirmada na segunda-feira (15), por volta das 14h. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, a Embaixada do Brasil em Pequim tenta obter informações sobre as circunstâncias da morte. 

Leonardo Cláudio da Rosa (centro) na reitoria da UFRGS antes de viajar à China para intercâmbio - Gustavo Diehl/ UFRGS/Divulgação

Todavia, nenhuma informação sobre as circunstâncias de sua morte foi confirmada pelo Itamaraty.

Segundo a UFRGS, a morte está sendo investigada pelas autoridades locais. Itamaraty e Embaixada do Brasil em Pequim afirmam que estão acompanhando a investigação policial. 

Há uma série de informações desencontradas sobre a morte do universitário. Leonardo recebeu a visita de um amigo formado pela UFRGS. Uma das versões que circula entre pessoas próximas é que a morte seria resultado de um homicídio. 

Durante a estadia do amigo visitante, Leonardo teria um encontro marcado por meio de aplicativo. Porém, ao chegar no local, teria ficado com medo e avisou ao amigo que voltaria ao hotel onde estavam hospedados.

Como Leonardo não teria voltado, o amigo brasileiro, que não falaria mandarim, teria chamado a polícia.

De acordo com a versão, o amigo teria sido informado pela polícia, apenas dois dias depois, de que o Leonardo teria se suicidado.

O Itamaraty não confirma tampouco desmente essa versão, bem como os familiares, que não estão atendendo a imprensa. 

“A Embaixada está em contato constante com as autoridades policiais locais para obter informações adicionais quanto às circunstâncias do ocorrido. O Itamaraty também está em contato com os familiares do sr. da Rosa, com vistas a orientá-los quanto aos trâmites burocráticos para o traslado do corpo”, afirmou o órgão em nota.

“A UFRGS está também em contato permanente com a universidade chinesa parceira, a CUC [Communication University of China], em busca de mais informações e para apoiar os demais alunos intercambistas nesse grave momento”, diz nota de pesar da universidade.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.