Vítima de queda de avião era filho de acionista da farmacêutica Aché

Assessoria de imprensa da empresa confirmou ligação com José Luiz Depieri

Joana Cunha
São Paulo

Uma das vítimas da queda de avião desta sexta-feira (12) em Campo Limpo Paulista (60 km de São Paulo) era filho do acionista do laboratório Aché, José Luiz Depieri. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da empresa. ​

Thiago Angelini Depieri, 27, morreu depois que o avião de pequeno porte caiu no quintal de uma casa da cidade e também matou Carlos Alberto Gonçalves da Silva. 

Destroços de avião que caiu em quintal no interior de SP
Destroços de avião que caiu em quintal no interior de SP - Divulgação/Corpo de Bombeiros

O velório de Depieri será na tarde deste sábado (13) em São Paulo e será aberto apenas para família e amigos próximos. 

Em nota, a Aché deixou sinceras condolências à família e aos amigos do jovem pela perda. 

Os bombeiros informaram que três equipes compostas por nove homens atuaram na ocorrência.

A aeronave, de prefixo PT-CON, estava em situação regular, segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação), mas tinha uma restrição: não poderia operar como táxi aéreo.

O problema tem sido recorrente.

Em fevereiro, o jornalista Ricardo Boechat morreu quando o helicóptero que o levava de Campinas a São Paulo, sem autorização para fazer táxi aéreo, caiu no Rodoanel, perto da rodovia Anhanguera.

Em maio, o cantor Gabriel Diniz morreu após cair o monomotor que o transportava para Maceió, também sem licença para operar como táxi aéreo. 

A licença para táxi aéreo exige dos pilotos mais horas de voo, e o preço cobrado pelas empresas regularizadas costuma, por isso, ser maior. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.