Barretos encerra festa de 2019 com ganhos políticos para rodeios

Alvos de decisões judiciais, rodeios receberam aceno positivo de Jair Bolsonaro (PSL) e João Doria (PSDB)

Marcelo Toledo
Barretos (SP)

Mais do que reunir seis eventos diferentes de montarias em touros e shows com alguns dos principais nomes do sertanejo no país, a Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos, encerrada neste domingo (25), deu uma força para os rodeios com decisões políticas que beneficiarão a atividade.

Alvos de decisões judiciais que vetam a realização de eventos do gênero às vezes no dia programado para o seu início, os rodeios receberam um aceno positivo do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), que visitaram a cidade do interior paulista e anunciaram medidas favoráveis à prática da modalidade.

Também foi anunciado o relançamento da frente parlamentar dos rodeios, vaquejadas e provas equestres em todo o país.

Doria esteve em Barretos no dia 16 e, com o secretário Gustavo Junqueira (Agricultura e Abastecimento) e prefeitos de mais de dez cidades, anunciou o reconhecimento de um regulamento de boas práticas e bem-estar animal criado pela CNAR (Confederação Nacional de Rodeios).

De acordo com o governo, com a publicação da resolução SAA 29, os organizadores de rodeios terão base legal para a prática dos esportes com bovinos e equinos, cumprindo as regras de bem-estar.

Prova da Festa do Peão de Boiadeiro em Barretos (SP); edição de 2019 foi encerrada neste domingo (25)
Prova da Festa do Peão de Boiadeiro em Barretos (SP); edição de 2019 foi encerrada neste domingo (25) - Ricardo Benichio/Folhapress

“Somos totalmente a favor [dos rodeios], com o respeito, com o cuidado que vocês tomam com os animais, aqui ninguém judia de animal. Os animais são bem cuidados aqui, os peões sabem disso e os que cuidam também. Nossa posição é absolutamente favorável, respeito quem é contra, não precisamos estabelecer aqui antagonismos, mas a Festa do Peão de Boiadeiro é evento oficial do governo do estado de São Paulo. É e continuará sendo”, disse Doria, dirigindo-se a Ricardo Rocha, presidente de Os Independentes, associação que organiza o evento de Barretos há 64 anos.

Entre as normas a serem seguidas estão o veto a uso de condutor elétrico (choque) em animais e a obrigatoriedade de deixar touros e cavalos em locais adequados antes de serem utilizados nas montarias. Segundo o estado, só em 2018 foram realizados cerca de 300 eventos do gênero em São Paulo.

No dia seguinte, foi a vez de Bolsonaro anunciar no estádio de rodeios de Barretos um decreto que flexibiliza a legislação sobre rodeios em todo o país.

Ele e Doria podem ser adversários na disputa eleitoral de 2022.

Com o decreto presidencial, fica a cargo do Ministério da Agricultura avaliar os protocolos de bem-estar animal elaborados pelas próprias entidades promotoras de rodeios. Ele também permitirá a realização de provas que não acontecem em todos os lugares, como a do laço e o bulldog.

Rocha afirmou que Bolsonaro mostrou ser possível fazer festas de peão com 100% de boas práticas animais. “Vai acabar com essa história de juízes bloquearem rodeios aos 47 [do segundo tempo]”, disse.

Barretos suspendeu a prova do bulldog —de imobilização de bezerros— após a morte de um animal em 2011 e não realiza a prova do laço devido ao veto imposto por uma lei municipal na década passada. Agora, será possível —mas Barretos não fez nenhum anúncio no sentido de voltar a realizá-las.

Uma outra medida a favor dos rodeios foi anunciada pelo deputado federal Capitão Augusto (PSL). Ele pretende recriar a frente parlamentar dos rodeios, vaquejadas e provas equestres no país. Um boneco inflável do deputado foi levado para o Parque do Peão, recinto que abriga a festa.

Para as ONGs de proteção animal, os eventos não deveriam existir por deixarem animais expostos a som muito alto, pela longa espera para as montarias e pelos currais considerados inadequados. Eles condenam ainda o uso do sedém —cinta de lã que passa pela virilha do animal.

Direção estuda trocar pontos corridos por mata-mata na festa

Se fora do estádio de rodeios projetado por Oscar Niemeyer as festas de peão ganham força na briga contra entidades de proteção animal, dentro da arena a direção da festa estuda a mudança da fórmula de disputa dos rodeios.

A maioria das provas, inclusive o Barretos International Rodeo, é disputada por pontos corridos, ou seja, o peão que conquistar mais pontos nos quatro dias de disputa é o campeão.

Marcos Abud, diretor de rodeio de Os Independentes, afirmou acreditar que as provas evoluirão nos próximos anos para um mata-mata, em que um peão compete com outro e quem obtiver a melhor nota avança, enquanto o outro é eliminado.

“No rodeio de estados [feito entre os dias 15 e 18, com vitória de Mato Grosso] já é assim. Esse produto tem uma facilidade maior de chamar a atenção do público. Porque ele vai para torcer. O rodeio que tem somatória de nota todos os dias está fadado a ser substituído”, afirmou Abud.

O modelo segue o The American, realizado nos Estados Unidos e que teve eliminatória em Barretos. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.