Brasileira é assassinada a facadas em Luxemburgo

Um ex-companheiro é suspeito de ter cometido o crime

Lucas Neves
Paris

O Ministério Público de Luxemburgo, país de 600 mil habitantes situado entre França, Alemanha e Bélgica, investiga a morte a facadas da brasileira Dione Streckert, 52, ocorrida no último domingo (11).

Segundo a polícia de Esch-sur-Alzette, na fronteira francesa, ela foi atacada em sua casa, no sábado (10), por volta das 18h (13h no Brasil).

 
Dione Streckert, 52, morta a facadas, dentro de casa, em Luxemburgo
Dione Streckert, 52, morta a facadas, dentro de casa, em Luxemburgo - Reprodução/Facebook

O suposto agressor, de nacionalidade portuguesa, foi preso no mesmo endereço.

Streckert chegou a ser levada ao hospital, mas morreu na madrugada seguinte.

A imprensa local informou que o suspeito é um ex-companheiro da vítima que já teria sido detido antes por bater nela.

Também de acordo com jornais luxemburgueses, Streckert trabalhava como faxineira e tinha três filhas e um filho. A mais jovem, 10, é autista e teria sido levada para um abrigo após o crime.

Catarinense, Streckert iria visitar a família no Brasil no começo desta semana.

A Promotoria de Luxemburgo informou que o suspeito está preso por tempo indeterminado, enquanto avançam as investigações.

O Consulado do Brasil em Bruxelas, destacado para acompanhar o caso, não quis dar informações sobre a assistência prestada aos parentes da vítima.

O cônsul honorário do país em Luxemburgo não respondeu ao contato da reportagem. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.