Descrição de chapéu Rio de Janeiro

Mãe e filho são resgatados dos escombros de casa que desabou no Rio

Casa, de três pavimentos, caiu em Curicica, na zona oeste da capital fluminense

Ana Luiza Albuquerque
Rio de Janeiro

Uma casa desabou na manhã desta segunda-feira (12) em Curicica, na zona oeste do Rio de Janeiro. 

Uma mulher de 21 anos, identificada como Raiane Martins, e seu filho de três anos foram resgatados dos escombros com vida. Ambos foram encaminhados para o hospital Lourenço Jorge, em Jacarepaguá, e estão lúcidos.

A área foi isolada e bombeiros do quartel de Jacarepaguá, com apoio de militares do Grupamento de Busca e Salvamento, foram acionados para resgatar as vítimas.

A mulher respondeu quando os bombeiros questionaram se havia alguém sob os escombros.  A residência tinha três andares e um terraço e ficava localizada na comunidade Vila Sapê, sob domínio da milícia. Ainda não se sabe o motivo do desabamento. 

O caso será investigado pela 32ª DP. Vizinhos e testemunhas estão sendo ouvidos e uma perícia ainda será realizada no local.

A Prefeitura interditou 16 imóveis na Vila Sapê nesta segunda. Além do prédio que desabou parcialmente, outros quatro imóveis serão demolidos. Outros 11 foram interditados preventivamente, aguardando avaliação mais profunda.

Escombros de casa após desabamento em Curicica, no Rio
Escombros de casa após desabamento em Curicica, no Rio - Reprodução/TV Globo

MUZEMA

Em abril, dois prédios já haviam desmoronado na zona oeste, matando 24 pessoas. As construções, localizadas na Muzema —área controlada pela milícia—, eram irregulares.

Os grupos paramilitares têm lucrado com a exploração das construções irregulares na região. A prefeitura, sob a gestão de Crivella (PRB), diz que vai demolir outros prédios no entorno. 

Após o desabamento, 27 pessoas foram denunciadas à Justiça pela ocupação, loteamento, construção, venda, locação e financiamento ilegais de imóveis, além de por ligações clandestinas de água e energia elétrica e corrupção de agentes públicos.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.