Descrição de chapéu Obituário Paulo César Fialho de Carvalho (1971 - 2019)

Mortes: Jornalista, descobriu a namorada brasileira de McCain

Paulo Carvalho morreu aos 47 anos no Rio

Júlia Zaremba
São Paulo

O relato de Eliza Samudio na porta de uma delegacia sobre as agressões sofridas do goleiro Bruno. A identidade da suposta namorada brasileira do ex-senador americano John McCain. O perfil de um morador de rua conhecido como Bororó, que fora assassinado no Rio. 

Essas foram algumas das histórias contadas pelo jornalista Paulo Carvalho ao longo de sua carreira como jornalista, que incluiu passagens pelos jornais O Povo, Extra e O Dia. 

Passou a infância no bairro de Higienópolis, na zona norte do Rio. Fã de revistinhas, costumava dizer quando criança para os dois irmãos mais velhos que um dia seria dono de uma banca de jornais. 

Jornalista Paulo Carvalho
Jornalista Paulo Carvalho - Arquivo pessoal

Além da paixão pelo ofício, era fanático por futebol. Seu time de coração era o Vasco —costumava assistir a partidas com os filhos. Tampouco dispensava um churrasco com amigos em sua casa, em Vila Isabel, também na zona norte. 

Um dos momentos mais marcantes de sua vida foi quando lançou o livro “Indefensável - O Goleiro Bruno e a História da Morte de Eliza Samudio”, com outros dois jornalistas. Referia-se à publicação com muito orgulho. 

Era visto como um homem sensível, gentil e festeiro. Nos últimos dias, estava empolgado porque começaria um novo emprego nesta quinta (1º). 

Morreu aos 47 anos, no último dia 25 de julho, em decorrência de um infarto. Deixa a esposa, Janaína, e os dois filhos, Pedro e João, de 11 e 18 anos.

Uma missa em homenagem a ele será realizada na próxima segunda (5) na Paróquia São Francisco Xavier, na Tijuca, zona norte do Rio.


coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missas

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.