Descrição de chapéu Rio de Janeiro

Polícia Federal apreende mais de 500 quilos de cocaína no porto do Rio

Drogas foram encontradas durante fiscalização de rotina com a Receita Federal

Diego Garcia
Rio de Janeiro

Em fiscalização de rotina no porto do Rio de Janeiro na manhã deste sábado (31), a polícia federal apreendeu 551,5 kg de cocaína.

De acordo com a PF, que confirmou a apreensão, o destino da droga seria a Europa. A operação foi comandada pela Delegacia de Repressão às Drogas (DRE).

A cocaína estava guardada em um contêiner e foi vista pelos policiais, que realizavam fiscalização ao lado de agentes da Receita Federal.

O problema do tráfico de cocaína vem sendo constante no Brasil. De acordo com a Receita Federal, no ano passado foram apreendidos 1,3 toneladas da droga apenas no porto do Rio, localizada em dois contêineres.

Segundo o G1, portal de notícias da TV Globo, apenas entre janeiro e maio de 2019 foram apreendidas 39,3 toneladas de cocaína em todo o Brasil, bem mais do que 23,2 toneladas apreendidas no país no mesmo período de 2018.

No começo de agosto, reportagem da Folha mostrou que as 280 mortes em massacres assistidos no país desde o final de 2016 são batalhas entre criminosos na disputa pelos milhões de dólares do comércio de cocaína.

Já em julho, a alfândega do Senegal apreendeu cerca de 800 kg da droga procedentes do Brasil e escondidos em 15 veículos a bordo de um navio no porto de Dacar, na mais recente de uma série de apreensões ao largo da costa da África Ocidental neste ano. 

No fim de junho, outros 238 kg de cocaína foram apreendidos, também escondidos em veículos novos, em um navio oriundo do porto brasileiro de Paranaguá, com destino a Luanda.

Ainda em junho, a Receita Federal apreendeu 808,2 kg da droga escondidos em uma carga de bananas no porto de Suape, no município de Cabo de Santo Agostinho, na região metropolitana de Recife. A cocaína apreendida foi avaliada em R$ 32 milhões. 

No fim de 2018, a polícia federal e a Abin (Agência Brasileira de Inteligência) detalharam as operações de facções criminosas no país envolvendo o tráfico de drogas. 

Segundo a PF, no Norte, as cargas com drogas “estão subindo com escolta [armada] pelos rios amazônicas”. No Sudeste brasileiro, são contratados “grupos especializados em assaltos a banco” para atuar na logística de transporte. Já nos portos do país há também “a logística de outro grupo criminoso”.

Em 2018, o volume de cocaína apreendida no porto de Santos até agosto foi superior a 13,5 toneladas e superou o total de 2017.

Como a Folha mostrou na ocasião, quadrilhas de traficantes que atuam na região utilizam as mais variadas táticas para esconder a droga em contêineres que transportam produtos como açúcar, sal, café, miúdos de frango e até cabeças de suíno com focinho.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.