Sem patrocínio, Prefeitura de SP suspende Ciclofaixa do Lazer

Há 10 anos programa reserva faixa para ciclistas aos domingos e feriados

São Paulo

Paulistanos que se animaram com o calor do fim de semana e decidiram tirar a poeira de suas bicicletas devem se preparar para um contratempo neste domingo (1º): as já tradicionais Ciclofaixas do Lazer não serão ativadas em São Paulo.

Depois de dez anos do programa que reserva, aos domingos e feriados, uma faixa de ruas da cidade exclusivamente para o trânsito das bicicletas, a Bradesco Seguros, que patrocinava a operação, decidiu encerrar a parceria com a Prefeitura de São Paulo.

Ciclista em ciclofaixa da Vila Olímpia
Ciclista em ciclofaixa da Vila Olímpia; programa que reserva faixa para bicicletas em SP foi suspenso - Moacyr Lopes Junior - 3.jan.2016/Folhapress

A prefeitura diz que abriu contratação emergencial do serviço, mas "as propostas apresentadas não atendem aos requisitos legais e não garantem a segurança dos ciclistas."

Assim, as faixas extras para os ciclistas estão suspensas.

Criado em 30 de agosto de 2009, o programa cresceu até passar das 120 km de faixas exclusivas para os ciclistas em todas as regiões da cidade, com concentração maior no centro e na zona oeste, das 7h às 16h.

Além de colocar cones e funcionários para orientarem os ciclistas, a Bradesco Seguros bancava também 50 mecânicos (que faziam regulagem de corrente, calibragem e remendo de pneus, ajuste de freios e bancos) e emprestava bicicletas na avenida Paulista e no parque Ibirapuera.

São Paulo tem 473 quilômetros de ciclovias permanentes, mas os ciclistas podem circular mesmo nas vias em que não há faixa exclusiva para bicicleta. Neste caso, devem ir pela rua (não pela calçada) e pedalar no mesmo sentido dos carros —que precisam manter 1,5 m de distância da bike.

Desde julho, a Prefeitura de São Paulo está em fase final do novo Plano Cicloviário da cidade que prevê a construção de 173 kms de novos trechos e requalificar outros 310 kms até 2020. 

ELIMINAÇÃO DE CICLOVIAS

A gestão Bruno Covas (PSDB) perguntou a alguns vereadores de sua base aliada quais trechos de ciclovia deveriam ser revistos ou eliminados da cidade. A consulta acontece às vésperas da apresentação do novo plano cicloviário. 

No último dia 16, o secretário da Casa Civil da administração municipal, João Jorge (PSDB), enviou uma mensagem via WhatsApp a um grupo seleto de vereadores da base aliada pedindo que eles enviassem no prazo de três dias sugestões de trechos de ciclovias a serem retirados da cidade (a prefeitura nega ter selecionado os vereadores). João Jorge diz que técnicos da prefeitura estudariam a melhor solução. No mesmo texto, João diz que sugestões de instalação de ciclovias também seriam bem-vindas. 

"Por determinação do prefeito Bruno Covas a prefeitura está elaborando um novo plano cicloviário. Se alguém tiver alguma ciclovia ou ciclofaixa que deseja revisão ou eliminação, por favor me passe. Os técnicos estudarão a melhor solução. Sugestões de novos trechos para instalação de ciclovias/ciclofaixas também são bem-vindas. Mande até a próxima segunda-feira, 12h, pra mim ou para meu adjunto Dedê", diz a mensagem.

Ciclistas reclamam que a convocação de Covas aos vereadores aliados atropela o processo de audiências públicas que serviu de base para o novo plano cicloviário. Desde maio foram feitas 10 audiências públicas para discussão do tema. Segundo cicloativistas, em nenhuma delas foi discutida a remoção de trechos de ciclovias. Recentemente, Covas disse que a cidade poderia sim ter cortes de trajetos de ciclovias.

Questionada pela Folha, a gestão Covas disse que encaminhou a mensagem a todos os vereadores. Disse ainda que solicitou a colaboração dos vereadores, representantes legítimos da população, para formular o novo plano cicloviário da cidade.

Em relação à remoção de trechos, a gestão Covas diz que mesmo que a cidade perca alguns trajetos de ciclovia, o saldo final será positivo com novos 170 km de vias exclusivas às bicicletas. Segundo a prefeitura, o plano deve ser apresentado em setembro.

Nesta quinta-feira (29), o jornal Agora, do Grupo Folha, publicou reportagem que mostra que a prefeitura tem removido ciclovias sem aviso prévio. A prefeitura diz que estão sendo feitas obras de requalificação nas ciclovias.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.