Doria comemora obra adiantada de estação de metrô que deveria estar pronta em 2014

Comentário foi feito em rede social; leitores rebateram: 'explique essa magia'

São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) elogiou nesta sexta-feira, em suas redes sociais, a inauguração da estação Jardim Planalto do monotrilho da linha 15-prata do Metrô, segundo ele entregue dois meses antes do previsto. A estação, porém, já deveria estar funcionando desde 2014, segundo promessas de governos tucanos.

"A inauguração da estação Jardim Planalto, da Linha 15-Prata do Monotrilho, aconteceu dois meses antes da previsão. Essa estação ajuda a reduzir em quase 50% o tempo de chegada do passageiro da zona leste até o centro da capital", escreveu Doria, em perfil em rede social. O post do governador foi feito a respeito de reportagem da TV Globo sobre reclamações de passageiros na estação.   

A defasagem no tempo motivou comentários à publicação do governador. Um internauta, após elogiar o governador, ponderou: "2 meses antes do quê? Sendo que era para ser entregue na copa de 2014? Pode ser antes do esperado ou por você... ou pelo tempo que você colocou para si mesmo, lhe admiro muito, acredito que está fazendo uma boa gestão. Mas falar que foi entregue antes do prazo.... me desculpe .... isso não é verdade...." 

Outro internauta observou: "Mas não era para antes da Copa de 2014? Como pode ser dois meses antes? Explique essa magia. Detalhe o governo anterior era do mesmo partido."

 

As obras paradas da linha 6-laranja e o atraso da linha 17-ouro também foram lembrados. 

Atualmente, todas as obras do Metrô em São Paulo estão atrasadas frente às suas promessas iniciais.  

O monotrilho da linha 15-prata está em construção desde 2011 e deveria ter sido entregue, da Vila Prudente até São Mateus, em 2014. Outro trecho, até o bairro de Cidade Tiradentes, está com a construção suspensa. 

Até o final de 2018, apenas duas estações funcionavam em horário normal. Outras quatro estações haviam sido inauguradas em abril daquele ano, às pressas pelo então governador Geraldo Alckmin (PSDB) e pré-candidato à presidência. Mas com uma série de falhas, elas não funcionaram até 2019 em horário comercial. 

Desde então, a estação Jardim Planalto é a ser primeira inaugurada.

O Metrô afirmou que esta gestão "tem como meta retomar e terminar todas as obras paradas". "A conclusão das obras dessas estações foi contratada nesta gestão. Em abril deste ano, as obras das quatro estações da Linha 15 foram retomadas e o prazo contratual para a entrega da estação Jardim Planalto era outubro. Como a inauguração ocorreu em agosto, foram dois meses antes do estimado, após a retomada das obras em abril", afirma a companhia, em nota.

O Metrô afirmou ainda que "é errado tirar essa informação do contexto".

Segundo a estatal, as outras estações Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus tem previsão de entrega até dezembro de 2019 e já foi iniciada a construção da estação Jardim Colonial.

Além dos atrasos, o monotrilho acumula falhas que vão de batida de trens a desabamento de um muro. 

Neste ano, o muro de uma das últimas estações entregues, a Camilo Haddad, na região do Parque São Lucas (zona leste de SP), desabou sobre a escada que dá acesso à plataforma. 

O incidente foi o quarto relevante neste ano relacionado à linha. Os problemas começaram em janeiro, quando um equipamento chamado terceiro trilho, que fornece energia aos trens, se soltou e ficou pendurado a 15 metros do solo. A circulação foi interrompida.

Um dia depois, um incidente ainda mais grave: dois trens bateram. Como os vagões estavam vazios, ninguém se feriu. 

Em maio, houve o caso de um pneu e uma composição do monotrilho que se deslocou da viga de rolamento durante uma manobra. 

De acordo com dados obtidos via Lei de Acesso à Informação pelo jornal Agora, do grupo Folha, no primeiro bimestre do ano a 15-prata era linha com mais falhas notáveis, com 38% do total da rede. 
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.