Motoristas e cobradores de ônibus fazem protesto nesta quinta-feira em SP

Categoria é contrária a corte de ônibus anunciado pela prefeitura e teme demissões

São Paulo

Motoristas e cobradores de ônibus de São Paulo deverão fazer na manhã desta quinta-feira (05) uma manifestação em frente à sede da prefeitura, no centro. ​

A categoria protesta contra os cortes de linhas e de frota de ônibus já anunciados pela gestão Bruno Covas (PSDB) e teme demissões. 

Segundo o sindicato que representa a categoria, a manifestação deve ocorrer por volta das 8h30. É possível que o trânsito nessa região seja afetado. Ainda de acordo com o sindicato, a presença dos motoristas e cobradores na manifestação pode afetar também outras linhas. 

Garagem da empresa Transwolff, que surgiu das lotações e hoje tem uma das maiores frotas
Garagem da empresa Transwolff, que surgiu das lotações e hoje tem uma das maiores frotas - Gabriel Cabral/Folhapress

A pressão dos trabalhadores ocorre enquanto a prefeitura tenta tirar do papel a licitação do novo sistema de ônibus da capital. O processo se arrasta desde 2013 e, no último mês, a gestão Covas sofreu uma derrota quando a Justiça decidiu que o prazo dos contratos, que chegaram a ser licitados, estava irregular

A discussão na Justiça é se os contratos devem ter 15 ou 20 anos. Uma lei municipal prevê 15 anos. Mas a Câmara Municipal, atendendo à pressão de empresários de ônibus, aumentou o prazo para 20 anos. A alteração foi feita pela emenda em um projeto de lei que versava sobre outro tema. Em primeira e segunda instância, a Justiça decidiu que a alteração era ilegal. A prefeitura estuda agora como recorrer da decisão. 

Enquanto o caso corria, a prefeitura firmou um acordo com os donos de ônibus de São Paulo para que passassem a vigorar as regras dos contratos que já haviam sido licitados e que estavam travados na Justiça. O acordo só foi possível porque as antigas empresas do ramo são exatamente as mesmas que venceram os novos contratos na licitação

As novas regras dão conta de uma reorganização dos ônibus pela cidade, o que inclui o corte de linhas e frota de ônibus. A antiga frota da cidade tinha 13,6 mil veículos. Os novos contratos preveem 12,7 mil. O sindicato dos motoristas e cobradores calcula que 450 ônibus já saíram de circulação. 

A prefeitura defende que um novo desenho de linhas na cidade é necessário para trazer mais eficiência e menor custo. Diz ainda que, apesar do cortes de ônibus, aumentará a oferta de lugares disponíveis nos veículos. 

A categoria, porém, teme que cortes sejam feitos. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.