Descrição de chapéu Rio de Janeiro

Não pode ficar como mais uma vítima de bala perdida, diz tia de Ágatha

Ato na Assembleia Legislativa do Rio cobra ação do governo estadual

Michel Alecrim
Rio de Janeiro

Parentes da menina Ágatha Vitória Sales Félix, 8, se juntaram a integrantes de movimentos sociais na noite desta segunda-feira (23) em uma manifestação nas escadarias da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), no centro, em reação à morte da garota.

Ela foi atingida por um tiro na última sexta-feira, 20. Os manifestantes cobram justiça e gritam palavras de ordem contra a política de segurança do governador Wilson Witzel.

No protesto, Daniele Félix, 24, tia da vítima, classificou de lamentável o posicionamento do governador, que se negou a rever sua estratégia de confrontos. "A gente não queria se pronunciar. Mas estamos nos manifestando para evitar que isso caia no esquecimento. Não pode ficar como mais uma vítima de bala perdida", afirmou Daniele.

O tio Danilo Félix, 30, também afirmou que a família espera justiça. "Não foi tiroteio como o governo está falando. Foi só o disparo do policial. Espero que haja punição ", afirmou Felix, que trabalha como motoboy.

Segundo ele, os pais da menina estão em estado de choque e não puderam comparecer ao protesto. 

Representante do movimento Enegrecer, Danilo Octaviano criticou os constantes confrontos em horário de entrada e saída das escolas nas comunidades. "Temos que acabar com essa política de genocídio. Não é por acaso. Morreu mais uma criança negra e pobre", disse Octaviano.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.