Descrição de chapéu Rio de Janeiro

Prefeitura do Rio anuncia licitação do Museu do Amanhã e prevê ingresso mais caro

Haverá limite de 30% de gratuidade; concessão terá prazo de 15 anos

Rio de Janeiro

A Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou nesta segunda-feira (17) a licitação para concessão de nova gestão do Museu do Amanhã, localizado no centro do Rio. O edital prevê que o valor do ingresso, hoje de R$ 20, possa ser reajustado para R$ 27 no primeiro ano de concessão. 

No segundo ano de concessão, o ingresso pode chegar a R$ 32; no terceiro, a R$ 35; no quarto, a R$ 40; a partir do quinto, pode atingir o teto de R$ 42.

Além disso, a Secretaria Municipal de Fazenda também definiu que a atual política de gratuidade precisará ser revista. Segundo a prefeitura, as gratuidades correspondem a 43% da média do público que visita o museu. Esse percentual deverá ser limitado a 30%. 

As gratuidades garantidas por lei serão mantidas. Hoje podem entrar de graça no museu, por exemplo, "grupos em vulnerabilidade social", funcionários Santander e guias de turismo.

O aviso de licitação foi publicado nesta terça-feira (17) no Diário Oficial do Município. O prazo de concessão será de 15 anos, podendo ser renovado por mais 15. O vencedor da licitação pagará uma outorga inicial de pelo menos R$ 1.461.700. A empresa vencedora será aquela que ofertar o maior valor. 

Segundo o edital, a prefeitura não será mais obrigada a fazer aportes anuais para o museu e passará a ter participação de 5,5% na receita da bilheteria e da alocação de espaços internos. A prefeitura diz que espera economizar R$ 300 milhões em gastos com a instituição durante os 15 anos de concessão. 

O Museu do Amanhã foi inaugurado em dezembro de 2015 e já recebeu mais de 3 milhões de visitantes. Ele é atualmente gerido pela organização social IDG (Instituto de Desenvolvimento e Gestão), que tem contrato com a Prefeitura até o dia 24 de novembro e poderá participar da licitação. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.