Ambulante é solto após imagens mostrarem que ele não participou de assalto

Dois colegas de Kauê e uma mulher foram mortos na troca de tiros entre assaltantes e guardas civis

São Paulo

O ambulante Kauê Oliveira Francisco, 21, foi solto na noite desta quarta-feira (16) após a divulgação de imagens de circuito interno de um posto de gasolina que sofreu uma tentativa de assalto no último sábado (12), em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo.

Segundo a investigação do Setor de Homicídios de Mogi das Cruzes, as imagens mostram que Kauê não participou do crime. Ele estava preso desde o sábado e dois de seus amigos foram mortos durante uma troca de tiros entre criminosos e guardas civis que estavam no posto. Outra mulher também morreu na ação. 

Carro onde estavam dois homens mortos durante assalto a guardas-civis no sábado (12) - Reprodução

As imagens mostram que Kauê e dois colegas chegam a um posto de gasolina em um Siena branco. Neste momento, outros dois homens chegam a pé ao posto e iniciam um assalto. 

Dois guardas civis de Itapecerica da Serra reagem ao assalto. O carro em que estava Kauê e seus colegas, Rodnei Alves dos Santos Reis e Bruno Nascimento de Souza, fica no meio de um tiroteio. Em seguida, os criminosos fogem de moto. 

Instantes depois, Kauê deixa o carro com um ferimento na mão esquerda, mas é seguido por um dos guardas. O agente chuta diversas vezes a cabeça de Kauê que está no chão e depois o amarra. 

Na saída da prisão, Kauê cedeu entrevista à TV Globo. Disse ter falado para os guardas que era sorveteiro e que não tinha relação com o crime, mas os guardas não acreditaram. 

"Eles falavam que a gente estava junto. A gente viu o assalto e ficou dentro do carro. Do nada, o policial chega e começa a tirar em nós. Eu saio do carro para pedir ajuda, ele me dá um rodo [uma rasteira] e começa a me bater", disse chorando.

Inicialmente, os guardas civis disseram à polícia que os dois amigos de Kauê, que foram mortos, saíram de um carro estacionado no posto para roubar a moto de um dos guardas. E que eles reconheceram Kauê como um dos participantes do crime e efetuaram sua prisão.

A Prefeitura de Itapecerica da Serra afirmou ter afastado os dois guardas das ruas e que instaurou um procedimento interno para apurar o caso. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.