Criminosos invadem emissora de TV, rendem funcionários e roubam caixas eletrônicos em SP

Grupo usou um carro clonado dos Correios e uniformes da TV Cultura; ação durou cerca de 3 horas

São Paulo

Um grupo de criminosos fortemente armados invadiu a sede da TV Cultura em São Paulo na manhã deste domingo (6), fez funcionários reféns e levou o dinheiro de caixas eletrônicos existentes no interior da emissora no bairro Água Branca, zona oeste da capital. Não há informações sobre feridos.

Segundo informações da emissora e da Polícia Militar, um grupo entre sete a 12 bandidos chegou à sede da emissora por volta das 7h. Eles usavam dois veículos, um deles um furgão clonado dos Correios. O outro era um Fiat Palio que fazia a escoltava do primeiro.

Policiais militares e equipes de investigação do Deic foram acionados para comparecer à sede da emissora de TV na zona oeste invadida por grupo de criminosos - Marcelo Goncalves/Sigmapress/Folhapressa

Ainda segundo a versão oficial, os criminosos estavam vestidos com camisetas da TV Cultura e de uma empresa prestadora de serviço, e, desta forma, conseguiram reder os seguranças, e outros funcionários que estavam na empresa nesta manhã.

Com o pessoal rendido, os ladrões passaram a arrombar, com uso de maçarico, dois caixas eletrônicos do posto do Banco do Brasil instalado no interior da emissora e, na fuga, levaram um terceiro equipamento com eles. O valor roubado pelos criminosos não foi informado.

Logo após o bando fugir, policiais militares foram acionados pelas vítimas e, por rastreamento do celular de uma delas, viram que o bando seguiu pela avenida Inajar de Souza, na zona norte da capital.
A polícia investiga o crime e, até o momento, nenhum suspeito foi preso.

O caso foi registrado no 91º DP (Ceagesp), que dará prosseguimos às investigações.

Segundo a Folha apurou, os criminosos levaram as imagens armazenadas no sistema de segurança da emissora, o que deve dificultar na identificação dos envolvidos.

Policiais ouvidos pela reportagem acreditam que, pelo conhecimento demonstrado pelo grupo, é possível que alguém da própria emissora tenha ajudado.

Até a conclusão desta reportagem, não havia informações sobre o número de pessoas feitas refém na ação criminosa e se alguma delas sofreu violência física.

Equipes da Polícia Científica estiveram no local para realizar a perícia, que inclui o levantamento de eventuais pistas deixadas pelos criminosos. A polícia paulista possui tecnologia capaz de cruzar, por exemplo, digitais de suspeitos com um banco de dados com 30 milhões de pessoas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.