Governo aumenta preço de apostas das loterias do país; Mega-Sena custará R$ 4,50

Caixa Econômica Federal ainda definirá a data em que os novos valores passarão a valer

Dhiego Maia Bernardo Caram
São Paulo e Brasília | UOL

Ficar milionário na base da sorte ficou mais caro no Brasil. É que o preço das apostas das loterias em vigor no país sofreu reajuste. A medida, autorizada pelo ministério da Economia de Jair Bolsonaro (PSL), foi publicada na edição desta quinta-feira (31) no Diário Oficial da União.

Clique aqui e confira a página de loterias da Folha

Bilhetes da Mega-Sena
Bilhetes da Mega-Sena - Bruno Amaral - 20.mar.2019 - Fotoarena/Folhapress

A aposta simples da Mega-Sena —hoje nos atuais R$ 3,50—, passará a custar R$ 4,50, um aumento de 28,57%. No último reajuste, o valor subiu de R$ 2,50 para R$ 3,50.

O novo preço fica um pouco acima da inflação para o período em relação ao último aumento. Segundo calculadora do BC (Banco Central), ela é de 24,02%, o que equivaleria a um valor de R$ 4,34 para uma aposta simples da Mega.

A Caixa Econômica Federal, banco estatal que administra as loterias do país, será a responsável por definir a data a partir da qual os novos preços e os novos valores de premiação passarão a valer.

Segundo texto da portaria, o banco só poderá tabelar os novos preços após "divulgação ostensiva do novo valor, para o público em geral, com antecedência mínima de três dias úteis da data de início da referida cobrança, nos meios de comunicação televisivo, radiofônico, impresso, neste caso, em jornais e revistas de grande circulação no País, e, ainda, na Internet, em portais ou sites dedicados à divulgação de notícias e à exploração de loterias".

A portaria também determina que o reajuste entre em vigor num domingo, feriado nacional ou data que não haja realização de sorteio.

Os novos preços se referem às apostas simples ou mínimas. Já as apostas múltiplas ou combinadas devem aumentar proporcionalmente à quantidade de apostas simples ou mínimas.

A portaria, redigida pela Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria, também autoriza que a Caixa reajuste os valores a partir de 2020 sem a necessidade de autorização prévia do governo, desde que os valores não superem a inflação acumulada nos 12 meses desde o último reajuste.

A medida também atingiu as loterias Lotofácil, Timemania, Dupla-Sena, Loteca, Lotogol e Lotomania.

Após o reajuste dos preços, o Ministério da Economia, que regula as loterias no Brasil, afirmou em nota o que o último reajuste ocorreu em maio de 2015. Segundo a pasta, o aumento observa a variação da inflação.

De acordo com a Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria do ministério, a perspectiva é de crescimento econômico do país nos próximos anos, acompanhado de abertura e ampliação do mercado lotérico, com entrada de novos operadores.

O aumento dos preços, justificou a secretaria, dará à Caixa maior capacidade de enfrentar o ambiente competitivo no mercado de loterias.


Veja os novos valores*

Mega-Sena: R$ 3,50 para R$ 4,50
Quina: R$ 1,50 para R$ 2,00
Dupla-Sena: R$ 2,00 para R$ 2,50
Lotofácil: R$ 2,00 para R$ 2,50
Loteca: R$ 2,00 para R$ 3,00
Lotogol: R$ 1,00 para R$ 1,50
Lotomania: R$ 1,50 para R$ 2,50
Timemania: R$ 2,00 para R$ 3,00

*só válidos para as apostas simples ou mínimas

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.