Descrição de chapéu Obituário Felipe Cheidde (1936 - 2019)

Mortes: Viveu entre o futebol e a Câmara dos Deputados

Felipe Cheidde foi jogador de futebol e deputado federal

Patrícia Pasquini
São Paulo

Apesar de pertencer a seu pai o primeiro cinema de São Bernardo do Campo (no ABC paulista) —Cine Anchieta, fundado em 1961—​ e de ter sido um admirador do teatro, foi o esporte que atraiu a atenção de Felipe Cheidde.

Jogador de futebol, ele passou por times como Juventus, Fluminense e ECSB (Esporte Clube São Bernardo), onde também exerceu os cargos de técnico e presidente. Até hoje seu nome é considerado o mais importante da história do ECSB.

Segundo o sobrinho, o advogado Calixto Antonio Júnior, 61, mesmo afastado da presidência ele ainda participava ativamente das atividades do clube. Atualmente, o ECSB é presidido pelo filho dele, Felipe Cheidde Júnior.

Felipe Cheidde com a família
Felipe Cheidde com a família - Arquivo pessoal

Bom de bola também fora dos campos de futebol, Cheidde investiu no basquete: criou o time do ECSB e escola para aprimoramento do esporte.

Em Fernão (a 384 km de SP), onde ele nasceu, acostumou-se com a simplicidade. Sua família se mudou para São Bernardo do Campo na década de 1940.

Amigos e familiares afirmam que sua marca registrada sempre foi a amizade. “Ele era popular, conhecia e ajudava todo mundo, e gostava de cuidar das pessoas”, conta Júnior.

As batalhas nos campos de futebol migraram para a Câmara quando alçou voos na política. Cheidde foi eleito duas vezes deputado federal.

Enquanto parlamentar, votou favoravelmente à manutenção do presidencialismo, mas, por discordância, não assinou a Constituição de 1988.

Felipe Cheidde morreu em 23 de setembro, seis dias antes de completar 83 anos, de insuficiência cardíaca. Deixa esposa, três filhos e três netos.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missas

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.