Polícia investiga segurança de prefeito de Manaus por assassinato

Crime ocorreu na casa de enteado de Arthur Virgílio Neto (PSDB)

Fabiano Maisonnave
Manaus

A Polícia Civil do Amazonas investiga a participação de um segurança do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), no assassinato de um engenheiro dentro da casa do enteado do político tucano.

Virgílio está no seu segundo mandato consecutivo como prefeito de Manaus e já foi senador, também pelo PSDB. No ano passado, chegou a tentar se candidatar a Presidência. 

Flavio Rodrigues, 42, foi morto a facadas na noite de 29 de setembro, um domingo, dentro da casa de Alejandro Valeiko, filho da primeira-dama manaura, Elizabeth Valeiko. Ele mora em um condomínio de luxo no bairro de Ponta Negra.

 
O prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto em convenção do PSDB, em 2017 )
O prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto em convenção do PSDB, em 2017 ) - Pedro Ladeira/Folhapress,

Imagens da segurança do condomínio divulgadas pela imprensa local mostram que o policial militar Elizeu de Souza, segurança de Virgílio, chegou ao local às 22h14 na noite do crime, dirigindo um carro da prefeitura. Ele estava acompanhado do lutador de MMA Mayc Vinicius Teixeira Parede.

Ambos saíram cerca de 15 minutos mais tarde, mas Parede havia trocado o assento de passageiro pelo banco traseiro. Para a polícia, o corpo de Rodrigues estava no veículo. O engenheiro foi localizado no dia seguinte, perto de uma estrada de terra no bairro vizinho do Tarumã.

Um dos presentes na cena do crime, Elielton Magno Gomes, foi esfaqueado nas costas e socorrido por seguranças do condomínio. Ele também é tratado como suspeito.

Parede confessou à polícia que teria matado Rodrigues, mas a Polícia Civil não acredita na sua versão. Ele está preso preventivamente junto com Souza, Valeiko e outros dois amigos do enteado. Na casa, houve consumo de álcool e de cocaína, segundo a polícia.

Tanto Virgílio Neto quanto a sua mulher negam que Valeiko tenha matado o engenheiro. Em texto sobre o caso publicado em redes sociais, o prefeito tucano endossou a versão do enteado, segundo a qual o Rodrigues foi sequestrado por homens encapuzados de dentro da casa, o que não é confirmado pelas imagens das câmeras de segurança.

Em entrevista coletiva, a primeira-dama afirma que seu filho é dependente químico, mas negou o envolvimento dele no assassinato.

“Não falo em defesa do meu filho, eu falo em defesa a todos que hoje, de alguma, forma são dependentes químicos”, afirmou, segundo o site G1. “Eu quero deixar muito claro que meu filho é doente, mas ele não é assassino. Ele não matou ninguém.”

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.