Tuka Rocha, que já escapou de incêndio na Stock Car, é 3ª vítima de queda de avião

Piloto teve 80% do corpo queimado em acidente com jatinho na Bahia

São Paulo

O piloto de Stock Car Tuka Rocha, 36, morreu na manhã deste domingo (17), vítima da queda de um avião bimotor no município de Marau, na Bahia.

É a terceira morte em decorrência do acidente, que aconteceu na última quinta-feira (14). A informação foi confirmada pela Sesab (Secretaria de Saúde do estado da Bahia).

Tuka Rocha estava internado no Hospital Geral do Estado, em Salvador, com 80% do corpo queimado. 

O piloto Tuka Rocha em evento em 2017
O piloto Tuka Rocha em evento em 2017 - 16.dez.2017 - Greg Salibian/Folhapress

Em 2011, o piloto escapou de um incêndio em uma prova da Stock Car no Rio de Janeiro. Ele saltou do carro em chamas e teve apenas ferimentos leves.

O paulistano Christiano Chiaradia Alcoba Rocha começou a pilotar kart ainda na adolescência. Passou por categorias nacionais e internacionais, como Fórmula Superliga e A1GP.

Na Stock Car, ele competiu de 2011 a 2018. Venceu uma prova da categoria em 2015, em Ribeirão Preto.

Era responsável pela Tuka Racing School, escola de pilotagem para crianças apoiada pelo Instituto Ayrton Senna. 

Outra vítima, Maysa Marques Mussi, 27, faleceu na noite deste sábado. Ela é irmã da jornalista e relações públicas Marcela Brandão Elias, 37, que também morreu no acidente. Maysa era casada com Eduardo Mussi, irmão do deputado federal licenciado Guilherme Mussi (PP-SP).

O jatinho caiu por volta das 14h da última quinta ao tentar pousar na pista de um resort de luxo no distrito de Barra Grande, em Maraú. A aeronave havia saído de São Paulo.

Também estavam a bordo: Eduardo Elias (marido de Marcela), Eduardo (filho de 6 anos do casal), Marcelo Constantino (neto do empresário Nenê Constantino, fundador da Gol), Eduardo Mussi, Marie Cavelan, Fernando Oliveira e Aires Napoleão Guerra (piloto da aeronave).

Os sete permanecem internados no Hospital Geral do Estado, segundo a Sesab, que não informou o estado de saúde das vítimas.

Os passageiros, segundo informações da prefeitura, foram socorridos por funcionários do resort, que passa por uma reforma e não está em funcionamento.

Segundo informações da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o avião é um bimotor Cessna AirCraft, de prefixo PT-LTJ, modelo 550, fabricado em 1981, que está registrado em nome do banqueiro José João Abdalla Filho.

A Polícia Civil afirmou, em nota, que o acidente é investigado pela DT (Delegacia Territorial) de Maraú e pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), da Aeronáutica. A DT solicitou perícia no local do acidente e necropsia.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.