Descrição de chapéu Obituário Carlos Eduardo Benito Jorge (1952 - 2019)

Mortes: Atuou pela melhoria da segurança pública do país

Carlos Eduardo Benito Jorge trabalhou 45 anos para a polícia civil

São Paulo

O rosto franzino e sisudo contrastava com o coração generoso. Assim, o presidente da Adepol (Associação dos Delegados de Polícia) do Brasil, Carlos Eduardo Benito Jorge, 67, era definido pelos amigos. 

“A convivência com ele foi um aprendizado eterno”, diz o amigo há mais de 20 anos, João Nazareno Nascimento Moraes, 62, ex-secretário da Segurança Pública do Pará e membro da Adepol Brasil.

Dudu estava no quarto mandato da Adepol e era considerado o responsável estratégico por dezenas de leis que foram fundamentais para o sistema de segurança pública. A trajetória na Polícia Civil durou 45 anos. 

Carlos Eduardo Benito Jorge (1952-2019)
Carlos Eduardo Benito Jorge (1952-2019) - Divulgação/Adepol

“Sua postura forte, coerência e ética o tornou respeitável no Congresso Nacional. O convencimento ali dentro não é fácil e, mesmo assim, tivemos muitas vitórias conduzidas por ele, graças ao seu forte poder de argumentação”, afirma Moraes.

Nascido em Catanduva (385 km de SP), tinha costumes simples. Os momentos de descanso eram desfrutados numa fazenda em Itajobi (393 km de SP). 

“Ele gostava da vida tranquila e de se dedicar à família”, conta a mulher, a professora Sonia Tayar Benito Jorge, 70.

Conviveram por 47 anos, sendo 43 deles como casados.

Suas ações foram pautadas pela dignidade e o senso de justiça, o amor ao próximo e a caridade permeavam todos os aspectos de sua vida. 

Carlos Eduardo Benito Jorge morreu dia 24 de novembro, aos 67 anos, de infarto. Deixa esposa, três filhos e dois netos.

“Dudu deixou a certeza de que valeu, vale e continuará valendo a pena aplicar seus ensinamentos como irmão, colega de profissão e líder nato de representação”, afirma Moraes.

coluna.obituario@grupofolha.com.br
 
Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missas

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.