Descrição de chapéu Obituário Milton Colen (1929 - 2019)

Mortes: Jornalista esportivo, foi o 1º a chamar o estádio de Mineirão

Milton Colen foi pioneiro da televisão em Belo Horizonte (MG)

São Paulo

Um jornalista que deixou marcas em cada passo de sua trajetória profissional, assim como fez enquanto praticava a dança de salão ou quando jogou futebol de várzea, atividades que tanto gostava. Mas os holofotes não viraram para as coreografias e nem para os dribles. Milton Colen escolheu a TV e o rádio para escrever sua história.

Nasceu em Teófilo Otoni, a cerca de 440 km de Belo Horizonte. Passou pelo Rio de Janeiro e pela Bahia, mas foi na capital do estado mineiro que fixou residência.

A assertividade, a honestidade e as fortes opiniões o acompanharam ao longo da vida. Audacioso, Colen apelidou o estádio Governador Magalhães Pinto de Mineirão. Na época, ele ficou inconformado com o fato de o político ter dado o próprio nome ao local.

Milton Colen (1929-2019)
Milton Colen (1929-2019) - Arquivo pessoal

O filho, o administrador de empresas Marcos Eduardo Colen, 47, conta que o pai foi pioneiro da televisão em Belo Horizonte e teve forte atuação no esporte. 

Milton trabalhou como repórter e locutor esportivo em várias emissoras de rádio e TV. Realizou o sonho de narrar uma das lutas mais importantes da história do boxe, entre Muhammad Ali e Joe Frazier, nos Estados Unidos, em 1971, e de cobrir duas Copas do Mundo: em 1974, na Alemanha, pela TV Globo, e em 1978, na Argentina, pela TV Tupi. 

Apesar da personalidade forte, era bem-humorado e sarcástico nas brincadeiras. Nos últimos tempos, prestigiava o esporte pela TV, principalmente vôlei feminino. 

Milton Colen morreu no dia 1º de novembro, aos 89 anos, por complicações de uma cirurgia para corrigir aneurisma na aorta. Separado, deixa quatro filhos, oito netos e três bisnetos.

coluna.obituario@grupofolha.com.br
 
Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missas

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.