Mulher é presa com vasos de maconha em janela de casa no interior de SP

Para polícia caso se trata de tráfico de drogas por serem sete mudas da planta e R$ 7.500 não justificados

Simone Machado
São José do Rio Preto

Uma auxiliar administrativa de 22 anos foi presa em flagrante por tráfico de drogas depois que a polícia encontrou sete mudas de maconha dentro do apartamento dela, na tarde desta segunda-feira (18), no bairro Vila Elmaz, em São José do Rio Preto (438 km de São Paulo).

Ela passou por audiência de custódia na tarde desta terça e vai responder ao processo por tráfico de drogas em liberdade.

Os vasos com as plantas estavam na janela do apartamento onde ela mora. No imóvel também foram apreendidos R$ 7.500 –dinheiro que, segundo a polícia, a mulher  não soube explicar a origem– e uma porção de 0,02 kg de maconha embalada. 

Segundo a polícia, a auxiliar administrativa negou traficar maconha e disse que usa a planta para fins medicinais --ela tem endometriose. A polícia não soube informar nesta terça (19) se ela já havia constituído advogado.

Vasos com plantas de maconha que estavam na janela do apartamento de uma auxiliar administrativa de São José do Rio Preto (SP) - Divulgação/ PM

Segundo o boletim de ocorrência, a Polícia Militar chegou até o imóvel após denúncia anônima dizendo que uma moradora do condomínio estaria cultivando maconha no apartamento e teria deixado os vasos com as mudas da planta na janela para tomar sol.

Fotos feitas pelos moradores do condomínio mostram os sete vasos. As imagens foram enviadas àpolicia e também foram divulgadas nas redes sociais.

“Com a chegada dos policiais a jovem se assustou, mas não tinha como correr ou ter alguma reação. Os vasos continuavam na janela no momento do flagrante e ela não quis dar mais detalhes sobre eles e o cultivo da droga”, diz tenente Claudio Ziroldo.

Além das plantas de maconha, a polícia encontrou dinheiro em espécie na casa da auxiliar administrativa, que deverá responder por tráfico de drogas - Divulgação/ PM

A mulher morava sozinha no imóvel alugado. Ela foi presa em flagrante e vai responder por tráfico de drogas.

Segundo Ziroldo, o caso caracterizou tráfico e não apenas porte de drogas devido à quantidade de dinheiro encontrada na casa e às mudas da droga.

“Raramente uma pessoa guarda grande quantidade de dinheiro em casa, normalmente esses valores em espécie vem do tráfico de drogas. Além disso as mudas plantadas no vaso também não caracteriza apenas o consumo”.

De acordo com o advogado de defesa Felipe Maturi, o fato de ela ser ré primária, ter emprego e residência fixos contribuíram para a soltura. Também, segundo a sentença, "o delito não foi cometido com violência ou grave ameaça".

Ela saiu da cadeia após pagar fiança --o juiz estipulou R$ 10.500, mas a jovem pagou R$ 3.000 pois foi permitido descontar os R$ 7.500 já retidos.

O advogado reafirmou que a cliente não é traficante. "A paciente sofre de endometriose e retocolite ulcerativa o que faz com que ela tenha muita dor. Começou a fumar maconha há 1 ano mais ou menos e desde então passou a sofrer bem menos com a doença".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.