Após um mês em hospital, morre menino que estava em jatinho que caiu na Bahia

Eduardo Elias, 6, é a quinta vítima de acidente aéreo registrado no dia 14 de novembro

São Paulo

Subiu para cinco o número de mortos após a queda de um avião durante o pouso em um resort, no distrito de Barra Grande, em Maraú, na Bahia. O acidente foi registrado em 14 de novembro.

Eduardo Elias, 6, não resistiu às queimaduras que sofreu em várias partes do corpo e morreu após quase um mês de internação nesta quinta-feira (12). A confirmação da morte do garoto foi dada pelo avô, o arquiteto e decorador Jorge Elias.

Numa postagem nas redes sociais, Elias publicou a última foto do neto antes de o avião cair na região sul da Bahia com uma mensagem. “Infelizmente o Eduardinho nos deixou essa tarde. Você foi um raio de alegria nas nossas vidas meu amor”, disse.

O garoto Eduardo Elias
O garoto Eduardo Elias - Reprodução

Em outro trecho da publicação, o arquiteto afirmou que o menino “foi um guerreiro”, uma referência ao tempo em que ele ficou internado após o acidente.

Já na queda do avião, Eduardo perdeu a mãe, a jornalista Marcela Brandão Elias, 37. O pai dele, Eduardo Trajano Elias, 38, sobreviveu ao acidente aéreo e continua internado no Hospital Albert Einstein, na capital paulista.

Também morreram Fernando Oliveira Vieira Silva, 26; a tia de Eduardo, a assessora de imprensa Maysa Marques Maussi, 27; e o ex-piloto da Stock Car, Tuka Rocha, 36.

Maysa era casada com o empresário Eduardo Mussi, que também estava no voo e é irmão do deputado federal licenciado Guilherme Mussi (PP-SP).

Havia dez pessoas a bordo no jatinho, entre elas o piloto Aires Napoleão Guerra, 66, que recebeu alta no dia 20 de novembro. Os outros cinco passageiros feridos foram transferidos para São Paulo.

São eles Marcelo Constantino, 28, neto de Nenê Constantino, fundador da Gol; Marie Cavelan, 27; Eduardo Mussi, viúvo de Maysa Mussi, além de Eduardo Trajano, marido de Marcela; e o garoto Eduardo Elias, 6.

ACIDENTE

O avião que transportava as vítimas no dia do acidente era um bimotor Cessna AirCraft, de prefixo PT-LTJ, modelo 550, fabricado em 1981, registrado na Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) em nome do empresário José João Abdalla Filho, que não estava entre os passageiros.

De acordo com informações da Força Aérea Brasileira, na tarde daquele 14 de novembro, a aeronave havia partido de Jundiaí (SP) com destino a Barra Grande (BA), onde os passageiros participariam de uma festa de casamento.

Instantes após o acidente, os ocupantes da aeronave foram socorridos por funcionários do resort, que passa por uma reforma e não está em funcionamento. Ainda na tarde do acidente, as vítimas foram transferidas para Salvador por aeronaves da Polícia Militar da Bahia.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.