Descrição de chapéu Obituário zezeico bordignon (1928 - 2019)

Mortes: Apaixonou-se pela esposa todos os dias, por 70 anos

Zezeico Bordignon jogou futebol pelo Clube Atlético Ypiranga, quando o time estava na primeira divisão do campeonato paulista

São Paulo

A primeira troca de olhares entre Zezeico Bordignon e Maria Ferreira Bordignon ocorreu no bonde, no trajeto para o trabalho. A estratégia para puxar conversa com a moça foi pagar a sua passagem. A gentileza abriu caminho para a amizade e depois o amor, que durou 70 anos.

Segundo o neto, o securitário Paulo Fernando Bordignon Menezes, 36, até duas semanas antes de morrer as declarações de amor eram constantes e ele a enchia de flores.

“Meu avô agradecia a Deus todos os dias por tê-la conhecido. Foi a coisa mais importante que aconteceu em sua vida”, diz Menezes.

Zezeico Bordignon (1928-2019)
Zezeico Bordignon (1928-2019) - Arquivo pessoal

Vieram outros gols. Na década de 1940, jogou futebol pelo Clube Atlético Ypiranga. Na época, o time estava na primeira divisão do campeonato paulista. 

Quando parou de jogar, tornou-se torcedor fervoroso do São Paulo. Assistia aos jogos e depois repercutia o resultado com o amigo Paraná, dono de uma banca de jornal no bairro que havia sido jogador do time nos anos 1950. 

O que o tornou um campeão mesmo foi a solidariedade. Nos anos 1990, deu o telefone da própria casa para o programa de TV de uma igreja Presbiteriana, veiculado na extinta Rede Manchete.

O número era disponibilizado a quem precisasse de oração ou conselho. Em dois anos, atendeu cerca de 5.000 pessoas. 

Por mais de 50 anos, Zezeico foi um dos administradores da Igreja Presbiteriana Independente do Ipiranga, da qual participou da fundação.

Zezeico Bordignon nasceu em Orlândia (365 km de SP) e mudou-se para São Paulo aos 4 anos. Ele morreu dia 7 de dezembro, aos 91 anos, de causas naturais. Deixa a esposa, uma filha e seis netos.

coluna.obituario@grupofolha.com.br
 
Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missas

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.