Descrição de chapéu Obituário José Alexandre Batalha (1936 - 2019)

Mortes: Professor, encantou as crianças com amor e criatividade

José Alexandre Batalha deixou um legado para a educação de Santa Bárbara d'Oeste

São Paulo

A memória afetiva sempre terá espaço para a lembrança de um professor especial. Amoroso, paizão e amigo. Assim era José Alexandre Batalha, o mestre que encantou as crianças no ensino primário, atual fundamental. 

Suas aulas eram obras-primas de bom humor e criatividade. Através da música ensinava as regras de acentuação gráfica e promovia torneios para que os alunos aprendessem tabuada. 

Nascido em Santa Bárbara d’Oeste (135 km de SP), quando jovem, José complementava a renda trabalhando como eletricista. De família simples, formou-se professor em 1958. A colega de classe, Anadyr Cecy de Castro Batalha, hoje com 78 anos, tornou-se sua esposa. Ao longo do tempo, a história do casal foi costurada com a da educação da cidade. 

José Alexandre Batalha (1936-2019)
José Alexandre Batalha (1936-2019) - Arquivo pessoal

Zé Batalha, como ficou conhecido, deixou um legado importante à Santa Bárbara d’Oeste e marcou o coração dos estudantes das muitas escolas que passou. 

Formado em estudos sociais, história e pedagogia, amava lecionar e também os seus alunos. 

Filho de Theodoro Batalha, um maestro famoso da cidade, José era seresteiro e sambista. A alegria da música o impulsionava para curtir as suas outras paixões: a natureza, pescaria e o Corinthians. 

Em 1989, resolveu aposentar-se e descansar. “Ele virou chacareiro e plantava frutas para oferecer à família e aos amigos”, conta a esposa Anadyr.

Denis Andia, prefeito de Santa Bárbara d’Oeste e um dos antigos alunos, decretou luto oficial por três dias na cidade.

José Alexandre Batalha morreu no dia 7 de dezembro, aos 83 anos, por complicações de câncer de laringe.

Deixa esposa, dois filhos, três netas e os alunos saudosos.

coluna.obituario@grupofolha.com.br
 
Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missas​​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.